• Sandra Carvalho

10% mais ricos acumulam 76% da riqueza do globo

O dado é do relatório de 2022 do Laboratório Mundial da Desigualdade.


Mulher e filhos na Mauritânia
Vida dura na Mauritânia, um dos lugares mais pobres do mundo | Foto: Xaume Olleros/União Europeia

Na superfície, está tudo OK, ou quase. Em média, no mundo, um indivíduo adulto ganha 23.380 dólares por ano e possui 102.600 dólares acumulados em 2021. Mas, olhados de perto, os números contam uma história bem menos tranquilizadora.


O Relatório da Desigualdade Mundial de 2022, tocado por economistas como Thomas Piketty, Lucas Chancel e Emmnuel Saez, mostra a disparidade radical entre os mais ricos e os mais pobres em 2021.


Considerando a paridade do poder de compra, a metade mais pobre da população fica com apenas 8,5% da renda global, enquanto os 10% mais ricos amealham 52%.


Isso significa, para um indivíduo da metade mais pobre, apenas 3.920 dólares de rendimentos por ano. Para os 10% mais ricos, são 122.100 dólares.


Quando se trata de riqueza, e não de rendimentos, a desigualdade é ainda mais pronunciada. A metade mais pobre da humanidade tem de se contentar com apenas 2% da riqueza global, enquanto os 10% mais ricos ficam com 76%.


Diferença: a porção que cabe a uma pessoa da metade mais pobre é de 4.100 dólares. Para os 10% mais ricos, a média é de 771.300 dólares. Confira no gráfico do relatório do Laboratório da Desigualdade Mundial:


Gráfico desigualdade
Gráfico: Relatório da Desigualdade Mundial 2022/Laboratório da Desigualdade Mundial

Veja mais: Hiper-ricos já acumulam 35,5 trilhões de dólares