• Sandra Carvalho

11 coisas que a China já fez para deter o novo coronavírus

Na província de Hubei, 60 milhões de pessoas foram proibidas de viajar.


Medo em Taiwan: máscaras se tornam obrigatórias | Foto: cc Wag Yu Ching/Office of the President/Fotos Públicas

O coronavírus de Wuhan avança velozmente. Até agora, ele já matou 106 pessoas, deixou 976 em estado crítico e infectou no total 4155 na China. Há vítimas também em pelo menos outros 17 países.


O cientista chinês Zhong Nanshan, especializado em doenças respiratórias, acredita que a epidemia vá atingir seu pico em uma semana ou 10 dias.


O governo da China tem reagido com medidas fortes para controlar o vírus.


1 - Na província de Hubei, onde fica Wuhan, o ponto zero da epidemia, 14 cidades foram isoladas: ninguém tem autorização para entrar ou sair. São 60 milhões de pessoas sem poder viajar na província.


A quarentena só abre exceção para as equipes de saúde de reforço e para os figurões do Partido Comunista, que agora está dando atenção máxima ao assunto.

Infelizmente, quando a medida foi adotada cerca de 5 milhões de pessoas já tinham viajado, tanto por causa das comemorações de Ano Novo quanto por causa da epidemia.

2 - O comércio de animais selvagens foi proibido em toda a China até o fim do problema. O mercado de peixes de Wuhan, onde tudo começou, foi fechado.


3 - O normalmente longo feriado de Ano Novo Lunar foi estendido em três dias, fechando as empresas, inclusive as bolsas de Xangai e Shenzhen.


Além disso, grandes cidades como Xangai e Suzhou pediram que as empresas estendessem ainda mais a paralisação. Em Xangai, o trabalho só deve se normalizar em 10 de fevereiro.


As escolas também continuam sem funcionar.

4 - Dois hospitais, Huoshenshan e Leishenshan, estão sendo construídos em dias para receber os doentes em Wuhan. Huoshenshan terá entre 700 e mil leitos. Leishenshan chegará a algo entre 1300 e 1500 leitos . As obras estão sendo transmitidas ao vivo 24/7.


5 - Até agora, 4.130 médicos e enfermeiros de fora já chegaram a Wuhan para cuidar dos doentes do coronavírus. No total, eles devem chegar a 6000.


6 - Trabalhadores de 42 empresas de material médico de proteção, como máscaras e roupas especiais, interromperam o feriado de Ano Novo Lunar para abastecer Wuhan e outras cidades da província de Hubei.


7 - Hong Kong suspendeu os trens de alta velocidade e os ferrys que ligam a cidade à China continental. Os voos de avião serão cortados pela metade, para diminuir as chances de infecção.

8 - Várias cidades, como Pequim, Xangai, Xi'an e Tianjin proibiram ônibus de longa distância.


9 - Nos aeroportos chineses, a temperatura de todas as pessoas que chegam ou partem são medidas. Funcionários do governo também medem a temperatura de passageiros em estações de metrô em várias cidades, como Xi'an e Sanya. Quem está com febre tem de ir para um hospital.


10 - Várias atrações turísticas foram fechadas, como a Cidade Proibida, em Pequim, e os parques Disney em Xangai e Hong Kong.


11 - Cientistas chineses correm contra o tempo para desenvolver uma vacina contra o coronavírus.


Na Universidade de Hong Kong (UHK), a equipe do professor Yuen Kwok-yung já está no estágio de testar a vacina em animais. Infelizmente, isso leva tempo.


No Hospital de Xangai Leste, da Universidade Tongji, outra vacina está sendo desenvolvida junto com a empresa Stermirna Therapeutics. A expectativa lá é que em 40 dias se tenha uma vacina pronta.


Veja mais: O ABC do coronavírus


#China #Coronavírus #Epidemias #HongKong #Pequim #Pulmões #UHK #UniversidadeTongji #Wuhan #Xangai