• Sandra Carvalho

A China fecha o cerco ao coronavírus com medidas extremas

Agora qualquer pessoa suspeita de ter o vírus ou em contato próximo com doentes entra em quarentena.


Passageiros de trem de Jinan, Leste da China, medindo a temperatura | Foto: cc Gov Ch/Fotos Públicas

Até o momento, a China está perdendo a guerra contra o coronavírus de Wuhan, apesar dos esforços massivos feitos nas últimas semanas. Em pouco mais de um mês, a epidemia do vírus matou 362 pessoas, contaminou 17.485 e alcançou 26 países.


Pior: a curva de disseminação do novo coronavírus continua a apontar para cima, todos os dias. A resposta do governo da China é um endurecimento radical das medidas preventivas nos últimos dias. Regras rigorosas contra a epidemia se tornaram implacáveis.


Acompanhe as medidas, narradas pelo Global Times e pelo Southern China Morning Post:


1 - Em Wuhan, o epicentro da epidemia, todas as pessoas suspeitas de terem o vírus ou que tiveram contato próximo com doentes com a infecção confirmada têm de se submeter à quarentena longe de casa, numa instalação do governo.


Por bem ou por mal, porque a polícia deve intervir nos casos de resistência. A medida entrou em efeito ontem, 2 de fevereiro.


Detalhe: 60 milhões de pessoas estão isoladas na província de Hunei, onde fica Wuhan, há cerca de 10 dias, sem poder viajar, para barrar a disseminação da doença.


2 - Também em Wuhan, os militares assumiram a distribuição de alimentos básicos, e entregaram 200 toneladas de suprimentos aos supermercados. O receio da escassez de alimentos ronda a cidade há dias.


3 - Na província de Zhejiang, as autoridades de Wenzhou determinaram que apenas uma pessoa por família pode sair de casa um dia sim outro não para comprar mantimentos desde sábado, 1 de fevereiro, até o próximo dia 8.


4 - O governo proibiu os funerais de vítimas das epidemias. Enterros ou transferência dos corpos de lugar foram banidos. Os corpos devem ser cremados imediatamente perto do local da morte.


5 - Em Huanggang, cidade vizinha de Wuhan, segundo polo mais sério da doença na China, 337 funcionários públicos foram punidos por falhar no combate ao coronavírus, e seis deles foram demitidos. A cidade fechou os estabelecimentos comerciais para prevenir aglomerações.


6 - Drones com alto-falantes começaram a ser usados pelo governo para para advertir pessoas nas ruas a usar máscaras protetoras.


7 - Ontem, fim do feriado estendido do Novo Ano Lunar, a temperatura dos passageiros de trem foi medida em toda a China, numa operação garantida por 70 mil policiais ferroviários.


8 - Hoje, com a volta ao trabalho, as máscaras se tornaram obrigatórias no metrô de Pequim. Quem estiver sem não poderá embarcar.


No front médico, a China tem se destacado com a construção vapt vupt de hospitais. O hospital Huoshenshan, construído em Wuhan em menos de 10 dias, começa a funcionar hoje, com 1000 leitos e uma equipe de 1400 profissionais.


O hospital deverá atender doentes já confirmados, e poderá fazer atendimento remoto por vídeo com os médicos do Hospital Geral do Exército de Liberação Nacional de Pequim.


Dê uma olhada neste vídeo aéreo em time-lapse para ter uma ideia da rapidez de construção.


Outro hospital, o Leishenshan, com 1600 leitos, também de construção muito rápida, deve ficar pronto em Wuhan na quarta-feira. Outras unidades estão sendo erguidas em esquema de emergência na província de Hunei, Fujian e Heilongjiang.


#China #Coronavírus #Drones #Epidemias #Hospitais #Wuhan