• Sandra Carvalho

A Grande Barreira de Corais amarga o quinto branqueamento massivo

É o branqueamento mais extensivo de todos - atinge a barreira de norte a sul.


Corais branqueados: desastre de 2020 | Foto: Kristen Brown/ Coral Reef Studies/Universidade James Cook

Branqueamentos massivos da Grande Barreira de Corais da Austrália, uma tragédia ecológica, estão se tornando cada vez mais frequentes. O primeiro aconteceu em 1998. O atual foi o terceiro num espaço de apenas cinco anos. A dúvida: esses recifes de corais têm futuro?


Pesquisadores da Universidade James Cook (JCU), de Queensland, sobrevoaram 1036 recifes de corais nas duas últimas semanas de março, para avaliar os danos.


"Pela primeira vez, branqueamento severo aconteceu em todas as três regiões da Grande Barreira de Corais, no norte, no centro e em grande parte do sul," observou o professor de Biologia Marinha Terry Hughes.


A severidade do branqueamento atual só poderá ser completamente medida daqui a alguns meses, quando as consequências do fenômeno já tiverem se desenvolvido plenamente.


O branqueamento dos recifes de corais estão muito ligados à mudança de clima. Quanto mais quente um verão, pior o branqueamento. Este ano, a Grande Barreira de Corais registrou as temperaturas mais altas desde 1900 (antes disso não havia medições).


Uma consequência desse verão extremamente quente foi o branqueamento mais extensivo de todos. Os outros quatro branqueamentos massivos também aconteceram depois de recordes históricos de temperatura no verão.


Descoloração leve ou severa


Um evento de branqueamento não mata necessariamente os corais, afetando mais algumas espécies que outras. "Com empalidecimento ou uma descoloração leve, um coral recupera a cor em semanas ou meses", observa o professor de Ecologia Marinha Morgan Pratchett, da universidade australiana James Cook. Quando a perda de cor é severa, a história é outra.


A Grande Barreira de Corais da Austrália é o maior ecossistemas de recifes de corais do mundo, com uma área de 334 mil quilômetros quadrados e muitas das cenas marinhas mais espetaculares do mundo.


Além da importância ecológica, tem valor econômico substantivo: garante 70 mil empregos na Austrália e gira cerca de 5,6 bilhões de dólares por ano.


Para ter uma ideia do branqueamento deste ano, veja as fotos de Morgan Pratchett, Kristen Brown, Klara Lindstrom e Victor Huertas reunidas pela JCU.



Veja mais: Uma araia manta rosa, única no mundo, vive na Austrália


#Austrália #Biologia #Calor #Corais #Fotografia #JCU #Oceanos #MudançadeClima #RecifesdeCorais #Temperatura