• Sandra Carvalho

A internet vai ter mais a cara da Ásia. (E rápido)

A cada 100 usuários da internet no mundo, 53 já vivem na região Ásia-Pacífico.


Shinjuku, em Tóquio: os asiáticos são 53% dos usuários globais da internet | Foto: cc0 Jezael Melgoza/Unsplash

Atualmente, 3, 8 bilhões de pessoas, 51% da população mundial, têm acesso à internet. A maioria esmagadora fica na região Ásia-Pacífico. A cada 100 usuários globais, 53 vivem lá.

Mais: é ali que está também o maior potencial de expansão da internet. A economia prospera, a tecnologia atrai e a taxa de penetração ainda é baixa: 48%.

Os números são do mais badalado relatório anual sobre tendências da internet, assinado por Mary Meeker, ex-Kleiner Perkins, agora dona de sua própria empresa de venture capital, a Bond. Os dados são referentes a 2018.


Pelo relatório, vê-se que os Estados Unidos, que mandam muito na internet, têm apenas 9% de seus usuários, e ainda contando com os canadenses para reforçar. A taxa de penetração é alta, 89%, a mais alta do mundo, o que significa que o espaço para expansão é ínfimo.


Bastião da privacidade

Depois dos asiáticos, quem tem a maior população de usuários de internet é a Europa, que funciona mais ou menos como um bastião de defesa da privacidade na rede.


Ficam na Europa 15% dos usuários de internet. A taxa de penetração também é alta, de 78%.

A África, somada com o Oriente Médio, tem 13% dos usuários da internet, com uma taxa de penetração irrisória, de menos de um terço da população: 32%.


Espaço para expansão há, obviamente, mas as barreiras econômicas ainda são bem altas na região, pela situação de pobreza que engolfa muitos países do grupo.

Nós, da América Latina e do Caribe, ficamos com 10% dos usuários da internet - até nós somos maiores que a América do Norte - com uma taxa de penetração razoável: 62%.

Confira o peso de cada região na internet:

#AméricaLatina #Ásia #EUA #Europa #Internet #MaryMeeker #Rankings