• Sandra Carvalho

A Lego monta seu próprio Instagram, a Lego Life

A rede é montada para o público core da marca, as crianças.


Lego: rede mais protegida para crianças | Imagem: reprodução Lego Life

A Lego acaba de colocar no ar sua própria rede social, um clube fechado para os nerdinhos de até 13 anos, chamado de Lego Life.


Sim, desta vez a Lego não quis saber da multidão de nerds adultos loucos por Lego. Só poderão entrar na rede as crianças e os pré-adolescentes.


Eles são o core do público da Lego - ela própria calcula que atinja, de alguma forma, 100 milhões de crianças por ano. São elas, claro, o motor de suas vendas anuais de 5,2 bilhões de dólares.


O objetivo é que uma multidão de geninhos compartilhe suas criações pela rede, troque mensagens e interaja com um teclado que é a cara da Lego.


A garotada incluída na estreia da Lego Life não é de qualquer país. Os brasileiros, como quase sempre acontece nessas estreias globais, sobraram.


Por enquanto, a rede está com as portas abertas apenas para americanos, britânicos, franceses, alemães, dinamarqueses, austríacos e suíços.


A globalização da Lego Life para mais gente fica para mais tarde, ainda este ano, ou até para 2018.


A Lego Life funciona em apps de iPhone e celulares Android, com medidas de segurança especiais para crianças. Ninguém pode, por exemplo, usar seu nome verdadeiro.


A identidade de cada um é criada com o e-mail dos pais (que pode ser inventado, é claro, mas de alguma forma funciona como um filtro para as crianças mais novas).


Fotografia, nem pensar. A garotada interage com avatares de figuras da Lego, que parecem, aliás, bem divertidos.