• Sandra Carvalho

A maconha e os gambás: o que eles têm em comum?

Segundo pesquisadores de cannabis, o cheiro, vindo de compostos voláteis de enxofre.


Cannabis
Cannabis: cheiro decifrado | Foto: cc0 Esteban Lopez/Unsplash

O mau cheiro exalado pelos gambás em situações de estresse é proverbial. Esse odor tem vários compostos de enxofre voláteis prenilados (VSCs, na sigla em inglês). Agora químicos da Califórnia encontraram essas moléculas na maconha.


Segundo os pesquisadores, são os VSCs que dão à cannabis seu cheiro característico. A maconha tem mais de 200 compostos aromáticos conhecidos. Os mais abundantes são os terpenoides, mas os mais decisivos para o odor são os VSCs, de acordo com os cientistas.


Os pesquisadores analisaram flores de 13 cultivos de maconha com cromatografia gasosa 2D e recorreram a um painel de pessoas para classificar a pungência do cheiro. O maior destaque foi o VCS3 (3-metil-2-buteno-1-tiol), mais abundante nos cultivos com cheiro mais forte.


A pesquisa não é acadêmica - foi liderada pela empresa Abstrax, que pesquisa cannabis e desenvolve produtos baseados em seus terpenoides. O estudo foi publicado no periódico ACS Omega e divulgado pela Sociedade Americana de Química.


Veja mais: Em Varsóvia, maconha para elefante estressado