• Sandra Carvalho

A maior câmera digital do mundo tem "só" 3.200 megapixels

A sua primeira imagem foi de um romanesco, um primo do brócolis e da da couve-flor.


Montagem da câmera no SLAC | Foto: Jacqueline Orrell/SLAC

A maior câmera digital do mundo está em construção num laboratório operado pela Universidade de Stanford, o SLAC, em Menlo Park, no Vale do Silício. A primeira foto tirada foi de um romanesco, legume de formas delicadas, parente do brócolis e da couve-flor.


A câmera está destinada a coisas mais épicas no Observatório Vera Rubin, que fica no Chile, um país de localização privilegiada para observação do espaço. O observatório também está em fase final de construção.


Com seus 3.200 megapixels, a câmera vai explorar os mistérios do cosmos. Suas imagens são tão grandes que seriam necessários 378 televisores 4 K juntos para exibir uma de suas fotografias. É uma resolução alta o suficiente para ver uma bola de golfe a 24 quilômetros, segundo as comparações do SLAC.


Quando estiver instalada no Chile no telescópio LSST, a câmera vai produzir imagens panorâmicas completas do céu do hemisfério sul durante 10 anos.


Entre os temas que ajudará a explorar estarão matéria escura e energia energia, justamente alguns dos assuntos que mais intrigaram a astrônoma americana Vera Rubin, que dá nome ao observatório.



Veja mais: China, o novo sócio do clube do espaço


#Telescópios #CâmerasDigitais #Chile