• Sandra Carvalho

A maioria dos cães tem olhar pidão. Até os de abrigo

É o que mostra uma pesquisa da USP sobre como os cachorros se comunicam.


Cão
O olhar dos cães: estratégia para conseguir alguma coisa fora do alcance | Foto: cc0 Jools?Pixabay

Os cachorros sabem que trocar olhares com as pessoas para conseguir o que querem funciona bem - e fazem isso rotineiramente. Inclusive os cães de abrigo, que têm menos oportunidade de interagir com humanos. Trocam menos olhares, mas trocam.


Uma pesquisa da USP analisou 60 cachorros de diferentes raças e idades. Quase todos os cães de estimação que viviam dentro de casa trocaram olhares com pessoas (95,7%) para conseguir algo que não estava a seu alcance. O estudo foi publicado em Science Direct.


Os cachorros de estimação que viviam fora de casa já recorreram um pouco menos aos olhares pidões (80%).


Os cães de abrigo, que muitas vezes cresceram nas ruas, com menos contato com gente, também se comunicaram com o olhar, mas menos frequentemente (58,8%).


Segundo Juliana Wallner Werneck Mendes, que fez os testes no Laboratório do Cão do Departamento de Psicologia da USP, os cães de estimação que passavam mais tempo junto das pessoas lançaram mais olhares para conseguir alguma coisa que desejavam.


O fato de os cachorros de abrigo se comunicarem menos, diz Mendes, não tem nada a ver com incapacidade de se relacionar com humanos ou de aprender. É simplesmente uma decorrência de sua história de vida, em que eles não precisaram dessas habilidades.


"Outros estudos já demonstraram que eles aprendem a usar a troca de olhares muito rapidamente na hora em que ocorre a interação com humanos”, observou à Agência Fapesp. ✔︎

Veja mais: Amizade entre humanos e cães já tem 11 mil anos