• Sandra Carvalho

A matança dos rinocerontes, vítimas do comércio global de superstições

Rinocerontes morrem por causa de seus chifres, arrancados em caça ilegal na África do Sul.


Wasinda: os caçadores ilegais arrancam os chifres dos animais | Foto: Brent Stirton/ Saving the Survivors

Apenas 150 anos anos atrás, os rinocerontes-negros e os rinocerontes-brancos passavam de 1 milhão nas savanas da África do Sul. Atualmente, os brancos mal batem em 20 mil, e os negros minguaram para 5 mil, à beira da extinção.


Eles morrem por causa de seus chifres, arrancados em caça ilegal com um misto de indiferença e crueldade. Alguns animais são mortos na hora, e outros são deixados feridos, desfigurados e sem chifres.


Na foto acima, você vê Wasinda, um rinoceronte socorrido pela organização sul-africana Saving the Survivors. Cego, os veterinários não acharam que ele poderia sobreviver, e optaram pela eutanásia.


Rinocerontes são herbívaros - eles comem quantidades monumentais de capim e outras plantas, tendo papel fundamental no ecossistema africano. Vão fazer falta se desaparecerem depois de milhões de anos de vida.


Os grandes centros consumidores dos chifres de rinocerontes africanos aparentemente estão na China, onde são usados para prática de medicina tradicional, e no Vietnã, onde são disputados pelos novos-ricos para tudo, da cura do câncer à indisposição das ressacas.


A China já tirou os chifres de rinocerontes de sua farmacopeia de medicina tradicional e proibiu seu comércio no país, mas não conseguiu eliminar a venda dos chifres. Eles são facilmente encontrados em lojas de "antiguidades".


Numa investigação profunda do assunto, divulgada em julho, a organização americana EAL (Elephant Action League), de Los Angeles, apontou as regiões chinesas que mais consomem os chifres de rinocerontes: Guangdong, Fujian, Zhejiang e Pequim.


Lá, o quilo do chifre de rinoceronte custa entre 26,5 mil e 40 mil dólares no caso do chifre inteiro. Um chifre costuma ter entre 1 e 3 quilos.


Segundo o relatório da EAL, um dos motivos da existência do comércio ilegal dos chifres é a corrupção dos funcionários das alfândegas e das autoridades policiais no Vietnã e na China.


No Vietnã, o consumo de pó do chifre virou algo que os novos-ricos exibem como símbolo de seu sucesso.


Os mercados pujantes levam o preço dos chifres para a estratosfera - eles valem mais que ouro ou cocaína, como lembrou a BBC. Daí, a matança. Acompanhe no gráfico.


Nos últimos dois anos, a caça ilegal de rinocerontes diminuiu ligeiramente na África do Sul, mas continuou num patamar altíssimo.


Em 2007, fez apenas 13 vítimas. Em 2014, no pior momento, as mortes chegaram a 1.215. No ano passado, a 1.054. Isto quer dizer que atualmente quase 3 rinocerontes são mortos por dia.



#ÁfricadoSul #AnimaisAmeaçados #AnimaisMaltratados #China #Rinocerontes