• Sandra Carvalho

A planta estressou? O celular avisou

Um nanossensor do MIT detecta os sinais químicos do estresse e dispara um alerta.


O sinal indica os níveis de peróxido de hidrogênio das folhas | Imagem: cc Felice Frankel/MIT

Estresse, na vida de uma planta, pode significar o ataque de um inseto, um machucado, uma infecção, uma queimadura de sol. Um nanotubo de carbono (NTC) embedado nas folhas da planta pode alertar por celular quando isso acontece.


Como? O nanossessor informa os níveis de peróxido de hidrogênio das folhas pelo celular. Explica-se: as plantas usam o peróxido de hidrogênio para se comunicar com suas folhas. Quando estão sob algum tipo de estresse, é assim que estimulam as células da folha a reparar danos ou repelir predadores.


Os nanossensores foram desenvolvidos por engenheiros do Massachusetts Institute of Technology (MIT) , e são capazes de distinguir entre os diferentes tipos de estresse. Eles foram testados com espinafre, morango e rúcula, entre outras plantas. O estudo foi publicado no jornal Nature Plants.


"Plantas têm uma forma de comunicação interna muito sofisticada, que pela primeira vez podemos observar", notou Michael Strano, professor de Engenharia Química do MIT. "Agora podemos ver em tempo real uma planta viva comunicando o tipo específico de estresse que está vivendo."


Veja mais: Os salgueiros florescem de novo em Yellowstone


#EngenhariaQuímica #Estresse #MIT #Nanotecnologia #NTC #Plantas