• Sandra Carvalho

Albatroz, a família de passáros mais ameaçada, pena perto da Antártica

Nos últimos 35 anos, metade deles simplesmente desapareceu.


 Albatrozes da Ilha do Pássaro, no Oceano Atlântico  | Foto: Stacey Adlard @ British Antarctic Survey

A Ilha do Pássaro, no território britânico da Geórgia do Sul, no Oceano Atlântico, costumava ser pródiga com os albatrozes. Mas, nos últimos 35 anos, metade deles simplesmente desapareceu.


A ilha fica numa região subantártica, e é usada como base para pesquisas científicas. Os argentinos acham que ela pertence à Terra do Fogo. O nome foi dado pelo explorador inglês James Cook, justamente pela abundância de pássaros na ilha.


O que aconteceu para a população de albatrozes diminuir tanto na Ilha do Pássaro? Mudanças no meio ambiente e atuação de barcos pesqueiros.


Essa é a conclusão de cientistas britânicos que estudaram o declínio dos albatrozes. Sua pesquisa foi publicada ontem no jornal PNAS.


Eles acompanharam a história de reprodução de 36 mil albatrozes individualmente, e constaram queda nas taxas de sobrevivência das aves adultas e jovens.


Os cientistas acompanharam 36 mil albatrozes   | Foto: Adam Bradley @ British Antarctic Survey

Mudanças climáticas recentes na Ilha do Pássaro incluem ventos mais fortes, aumento da temperatura da superfície das águas do mar e menor quantidade de gelo na área.


Já os barcos pesqueiros impactam diretamente a alimentação dos albatrozes que vem do oceano, porque involuntariamente ou não recolhem em suas redes muitos peixes que as aves comiam.


Atualmente, das 22 espécies de albatrozes existentes no mundo, 17 estão ameaçadas de extinção, segundo a Lista Vermelha da IUCN. As outras cinco estão perto de ameaçadas.


Os cientistas da British Antarctic Survey vem acompanhando o que acontece na Ilha do Pássaro desde 1972.


#AnimaisAmeaçados #Aves #ListaVermelha #MudançadeClima #OceanoAtlântico #Pássaros