• Sandra Carvalho

Alexei Leonov, o primeiro homem a andar no espaço (1934- 2019)

O astronauta russo flanou 12 minutos no espaço em 1965, antes dos americanos.


Leonov, de frente, com um colega americano na missão Apollo-Soyuz: feito de herói | Foto: NASA

A vida de Alexei Leonov tinha muita coisa para dar errado. Seu pai foi uma vítima da perseguição política stalinista, e ele ele nasceu na Sibéria, distante de onde as coisas aconteciam na União Soviética.


Ainda assim, ele conseguiu se tornar piloto da força aérea e depois se transmutar em astronauta, no auge da corrida espacial entre União Soviética e Estados Unidos.


Seu momento de glória aconteceu no dia 18 de março de 1065, quando andou no espaço por 12 minutos, amarrado por um cabo de 4,8 metros, fora de sua cápsula espacial Voshhod 2, arriscando a vida pelo feito heroico.


Por pouco ele não conseguiu voltar à aeronave. Perdeu as luvas das mãos e as botas dos pés, e teve de se livrar de parte de seu oxigênio para retornar à capsula. Além disso, na volta, depois de desabar nas montanhas dos Urais, ainda teve de esperar três dias para ser resgatado.


Com toda essa emoção, era a primeira vez que um homem caminhava pelo espaço. Os americanos só conseguiriam repetir a façanha alguns meses depois.


"A vista foi espetacular", comentou depois Leonov. "As estrelas não piscam. O sol parece fundido no veludo negro do céu. Só a Terra acelera."


A vida profissional de Leonov teve outros pontos altos. Amigo do russo Yuri Gagarin, o primeiro homem a ir à Lua, ele foi o comandante da missão Soyuz-Apollo, a primeira que uniu soviéticos e americanos na mesma empreitada.


Leonov também foi pintor e escritor. Levou lápis de cor para desenhar no espaço e fez lá um amanhecer que se tornou antológico.


Ele morreu em Moscou, no dia 11 de outubro de 2019, depois de uma longa enfermidade.


#Astronautas #Espaço #EUA #Rússia #UniãoSoviética