• Sandra Carvalho

Alimentos orgânicos viraram negócio de bilhões no Brasil

Esqueça o hippie e sua hortinha. Orgânicos agora são para profissionais.


Café orgânico
Café orgânico das Fazendas Klem, de Manhuaçu, Minas Gerais | Foto: Organis

Os produtos orgânicos movimentaram 5,8 bilhões de reais em 2020 no Brasil, 30% mais que em 2019. Deixaram de ser um negócio nanico. Embora anda coma muita poeira de países como China, Índia e Espanha, o país já lidera mundialmente o mercado de açúcar.


Os dados de vendas de alimentos são da #Organis, a Associação de Promoção da Produção Orgânica e Sustentável. A produção orgânica ocupa hoje 1,3 milhão de hectares, cerca de 0,5% da área cultivável do Brasil.


Além dessa área, há 1,7 milhão de hectares de terras consideradas orgânicas dedicadas à apicultura e ao extrativismo ( castanhas, açaí, palmito, plantas medicinais e aromáticas), de acordo com as estimativas do pesquisador João Paulo Soares, da Embrapa Cerrados.


Cientistas da #Embrapa compararam os alimentos orgânicos produzidos no Brasil com os do resto do mundo. Chegaram à conclusão que o Brasil está abaixo da média dos principais fabricantes de orgânicos, mas tem uma posição excepcional em açúcar.


Guaraná
Guaraná orgânico na Fazenda Asteca, na Bahia | Foto: Organis

A empresa brasileira #Native, a maior produtora de açúcar orgânico do mundo, abastece sozinha 31% do mercado global. Somando-se a Native com as também brasileiras Jales Macho e Goiasa, chega-se a 61%.


A produção de mel também é um ponto alto da produção orgânica brasileira. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (#Ipea), o país tem o maior número de colmeias orgânicas do mundo, 900 mil unidades.


Em hortaliças orgânicas, o Brasil produz anualmente 267 mil toneladas - 11,5 vezes menos que a China, mas 3,2 mais do que o México.


Em frutas tropicais, o Brasil leva uma surra da China, Índia, Espanha e Itália. Com suas 71 mil toneladas anuais, o país consegue pelo menos uma produção 3,5 vezes maior que a dos Estados Unidos.


Em citricultura, o Brasil está próximo da média mundial, com sua produção de 72 mil toneladas anuais - o que não impede a Espanha produza 5,2 vezes mais cítricos que o Brasil.


Para mercados importantes como o de café e produtos de origem animal - frango, ovos, leite, carne bovina - os dados ainda são antigos demais ou insuficientes.


Feira de supermercados
Feira de supermercados antes da pandemia de Covid-19 | Foto: Organis

Veja mais: Brigas de bactérias no queijo minas frescal