• Sandra Carvalho

Amianto, o perigo que ronda os pulmões

Barato e resistente, o amianto atrai as indústrias. Mas é comprovadamente cancerígeno.


Advertência contra o asbesto em construção detonada | Foto: cc0 Jennifer Beebe/Pixabay

O amianto é um mineral naturalmente resistente a calor, fogo e corrosão por produtos químicos. Barato e com essas qualidades, é uma matéria-prima tentadora pra muitas indústrias. Mas detalhe: é cancerígeno.


Conhecido também como asbesto (em grego, a palavra asbesto quer dizer indestrutível), esse mineral é perigoso sobretudo para os trabalhadores nas fábricas.


Nas indústrias, fibras de amianto são inaladas e levadas para o pulmão, onde podem causar asbestose, ou seja, a formação de cicatrizes, que reduzem a capacidade respiratória.


Além disso, se inaladas a longo prazo, as fibras de amianto podem dar origem a câncer do pulmão e também a mesotelioma, um tipo peculiar de câncer do pulmão muito agressivo, que costuma ficar latente por 30 ou 40 anos.


De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) o asbesto também pode causar câncer de laringe, do trato digestivo e de ovário.


Segundo o Mesothelioma Center, as doenças relacionadas ao asbestos causam a morte de cerca de 90 mil pessoas por ano no mundo.


Atualmente o amianto é proibido em mais de 60 países, da Bélgica ao Uruguai.  Desde os anos 70 sofre restrições em várias partes do mundo, por poluir ou fazer mal à saúde. 


O STF proibiu em 2017 o uso do amianto tipo crisotila, o mais usado (o do tipo anfibólio já tinha sido banido em 1995).


O estado de Goiás resistiu à proibição do STF, e em julho deste ano adotou uma lei que permite a extração e exportação do amianto crisotila em seu território. A alegação: proteger os empregos da indústria do asbesto.


Por aqui, os produtos mais vendidos feitos com amianto foram as telhas da Eternit, fabricadas com o mineral até o fim de 2018. Muitas caixas d'água também era feitas com o asbesto.


Outro produto que tinha amianto no passado era o talco para bebês da Johnson & Johnson, o que já rendeu milhares de processos para a companhia.


#Amianto #Câncer #Cancerígenos #Contaminação #GO #INCA #JohnsonJohnson #Mineração #STF