Anorexia não é só problema de cabeça, como se pensava

Há sinais de que a doença é uma questão de corpo e mente.


Anorexia: mais vítimas entre as mulheres | cc0 Jairo Alzate/Unsplash

Até agora, a anorexia era considerada um distúrbio psiquiátrico, o mais mortal deles. Com uma visão distorcida de seu próprio corpo, os anoréxicos têm pavor de engordar e emagrecem até ficar esqueléticos. Entre 1% e 2% das mulheres são afetadas pela anorexia. Os homens, menos: 0,3%.

O que mudou? Um time internacional de mais de 100 cientistas examinou dezenas de milhares de DNAs e agora sugere que a anorexia não é um problema apenas psiquiátrico. Eles descobriram oito variantes genéticas ligadas à anorexia. Isso indica que a origem da doença pode ser tanto metabólica quanto psiquiátrica: uma questão de corpo e mente.

Com essas variantes no DNA, pessoas anoréxicas processam gorduras e açúcares de uma forma diferente, o que facilitaria a recusa à comida. As variantes também influenciam a atividade física, o que ajuda a explicar a tendência de os anoréxicos serem fisicamente muito ativos.

O estudo, liderado pelo King's College, de Londres, e pela Universidade da Carolina do Norte (UNC) em Chapel Hill, examinou os genomas de 16.992 pessoas com anorexia e os comparou com os de 55.525 pessoas de um grupo de controle de 17 diferentes países.

Antes desse estudo, as anormalidades metabólicas dos anoréxicos tendiam a ser consideradas uma consequência da recusa em comer. Agora, essas diferenças passam a ser pensadas também como origem da doença, junto com os fatores psiquiátricos.

O exame do DNA dos anoréxicos revelou adicionalmente uma sobreposição com outros distúrbios psiquiátricos, como transtorno obsessivo-compulsivo, depressão, ansiedade e esquizofrenia.

A pesquisa foi publicada na Nature Genetics.


#Anorexia #DistúrbiosAlimentares #DNA #Genoma #KingsCollege #UNCChapelHill