• Sandra Carvalho

As 20 cidades mais vigiadas do mundo (16 são da China)

Londres e três cidades indianas, Delhi, Indore e Hyderabad, completam a lista em 2021.


Taiyuan
Taiyuan: para perto de 4 milhões de habitantes, 465 mil câmeras | Foto: cc0 Pixabay

As câmeras de vigilância se espalham rápido como um vírus pelo mundo - já chegam a 770 milhões, disseminando a xeretagem por quase todo o globo. Mais da metade (54%) se concentra na China.


No topo do ranking de 2021 das cidades com mais câmeras CCTV, de circuito fechado, 16 das 20 cidades são chinesas.


Londres e três cidades indianas, Delhi, Indore e Hyderabad, completam a lista das campeãs (ou vítimas) da vigilância.


O ranking é elaborado pelo site inglês de comparações de tecnologia #Comparitech, que faz o levantamento nas 150 cidades cidades mais povoadas do mundo.


A cidade mais vigiada do planeta é Tayuan, que une a velha China - tem 2.500 anos de história - e a China moderna devido a sua efervescência industrial. Há na cidade 117 câmeras a cada mil habitantes. Pequim tem 55 e Xangai 36.


O Brasil entra com 10 cidades no ranking, mas em função da população, não das câmeras CCTV. As cidades brasileiras citadas com mais câmeras, Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo, aparecem com apenas 1 câmera a cada 1.000 pessoas.



Câmeras de vigilância não são necessariamente os olhos do Big Brother, mas podem ser, dependendo do uso.


Essas câmeras são muito usadas em monitoramento do trânsito, prevenção de crimes, investigações policiais, acesso a edifícios comerciais, segurança de aeroportos, fiscalização de lojas, supervisão de operações nas fábricas.


Dependendo do país e do governo, também em rastreamento de pessoas que incomodam quem está no poder.


Desde que a tecnologia de reconhecimento facial foi desenvolvida, essas câmeras já se arriscam a identificar qualquer pessoa que passe diante delas (equívocos acontecem com alguma frequência, inclusive levando a prisões injustificadas).


Os defensores do reconhecimento facial dizem que essa tecnologia torna o mundo mais seguro. Os críticos acenam com invasão de privacidade, perseguição a perfis estigmatizados e restrição à liberdade de movimento.


Os fabricantes dos equipamentos tentam driblar a desconfiança com câmeras de vigilância cada vez mais poderosas, mais precisas e mais baratas. Relatório da consultoria IHS Markit citado pelo Wall Street Journal prevê que essas câmeras cheguem a 1 bilhão até o final do ano.


O ranking principal da Comparitech é organizado por quantidade de câmeras por cidade X população. Outro ranking do site lista as cidades por quantidade de câmeras por milha quadrada.


Pelo critério de câmeras por milha quadrada, novas cidades aparecem como campeãs (ou vítimas) da arapongagem.


Entre elas, Cingapura entra com 388 câmeras por milha quadrada, Seul com 331, Moscou com 210, Nova York com 193, Mumbai com 157 e Cidade do México com 151.


Cingapura: 387 câmeras por milha quadrada | Foto: cc Fabio Achilli/Flickr

Veja mais: Xavier, o robô, patrulha o centro de Cingapura