• Sandra Carvalho

As cidades brasileiras mais amigáveis para quem passou dos 60

A maioria das cidades fica no estado de São Paulo. A melhor de todas também: Santos.


São José do Rio Preto, Vitória e Niterói: boas para idosos | Fotos: cc0 Pixabay, cc Webysther Nunes e cc0 Pixabay

Quais são os melhores lugares para viver depois dos 60 anos no Brasil? Temos uma Miami, que funciona como um ímã para aposentados mais ou menos bem de vida?


Miami mesmo nós não temos, mas já há um ranking, o IDL (Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade) que permite saber quais as cidades brasileiras são mais indicadas para envelhecer.


Aliás, são dois rankings: um aponta para os lugares mais amigáveis entre as 150 maiores cidades brasileiras e outro para pequenas cidades (entre 50 mil e 100 mil habitantes).


O IDL é feito pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e a Escola de Administração da FGV de São Paulo. Para chegar ao IDL, foram analisados 60 indicadores ligados à qualidade de vida de 498 cidades.


O resultado é uma forte concentração de cidades do Estado de São Paulo nos dois rankings.


Explicação do coordenador acadêmico do IDL, Wesley Mendes-da-Silva, da FGV, no site do Mongeral Aegon: "Oportunidades de crescimento profissional e intelectual, assistência de saúde, menor desigualdade social e menores níveis de violência são exemplos de indicadores que colaboraram para a boa classificação das cidades dessa região no IDL 2017."


O IDL leva em conta, principalmente, temas como bem-estar, habitação, cultura, saúde, finanças, educação e trabalho.


Trabalho? Sim, porque do jeito que as coisas vão, no Brasil e no mundo todo, com as pessoas vivendo mais e o dinheiro da aposentadoria ficando mais curto, sessentões e setentões pensam em trabalho, seja por opção, seja por necessidade.


Veja a lista das 10 cidades mais amigáveis entre as 150 maiores do país:


1. Santos, 433 mil moradores: qualidade de vida, economia robusta, opções de cultura e muitos idosos

Foto: cc0

2.Florianópolis, 461 mil moradores: 42 praias e melhor Índice de Desenvolvimento Humano entre as capitais brasileiras

Foto: cc0 Pixabay

3. Porto Alegre, 1,4 milhão de moradores: churrasco, idosos independentes e condições de habitação superiores

Foto: cc Tetraktys

4. Niterói, 495 mil moradores: arquitetura de primeira e o maior número de médicos por habitante entre grandes cidades

Foto: cc0 Pixabay

5. São José do Rio Preto, 438 mil moradores: boa infraestrutura e oportunidades de trabalho

Foto: cc0 Pixabay

6. Ribeirão Preto, 658 mil moradores: chope, calor e agronegócio como pano de fundo

Foto: cc Leandro Maranghetti Lourenço

7. Jundiaí, 397 mil moradores: entre São Paulo e Campinas, boas oportunidades de trabalho

Foto: cc Deadfield

8. Americana, 226 mil moradores: menos violência e maior expectativa de vida que a média das cidades

Foto: cc Paula Hirama

9. Vitória, no Espírito Santo, 352 mil moradores: praias e montanhas e muita opção de cuidados de saúde

Foto: cc Webysther Nunes

10. Campinas, 1,1 milhão de moradores: boa performance em cultura e oferta variada de serviços de internet

Foto: cc FaSouzaFreitas

As 10 pequenas cidades mais amigáveis para quem tem mais de 60 anos são São João da Boa Vista (SP), Vinhedo (SP), Lins (SP) Fernandópolis (SP), Tupã (SP), Votuporanga (SP), Lajeado (RS), Itapira (SP), Rio do Sul (SC) e Bebedouro (SP).


Todas têm entre 65 mil e 90 mil habitantes.