• Sandra Carvalho

As cidades mais vigiadas do mundo

Veja onde as câmeras de vídeo são mais numerosas ao redor do globo.


Pequim: 56 câmeras de vigilância a cada 1.000 habitantes | Foto: cc0 Zhang Kaiyv/Unsplash

A cidade chinesa de Taiyuan era conhecida há até pouco tempo por fascinantes 2.500 anos de história e pela pujança industrial na China moderna. Agora pode ser reconhecida também como a capital mundial da vigilância. Tem 120 câmeras de vídeo para cada 1.000 habitantes.


Os números são do site inglês de comparações de tecnologia Comparitech, que fez um ranking das câmeras de vigilância nas 150 cidades mais populosas do mundo.


As cidades chinesas quase monopolizam os primeiros 15 lugares dessa lista, com Taiyuan à frente. Pequim tem nada menos do que 56 câmeras por 1.000 habitantes, Xangai 37, Chengdu 34. Londres é a exceção europeia, com 67 câmeras a cada 1.000 moradores. Confira no gráfico.



Câmeras de vigilância, também conhecidas pela sigla CCTV em inglês, não são necessariamente os olhos do Big Brother, mas podem ser, dependendo do uso.


Essas câmeras são muito usadas em monitoramento do trânsito, prevenção de crimes, investigações policiais, acesso a edifícios comerciais, segurança de aeroportos, fiscalização de lojas, supervisão de operações nas fábricas.


Dependendo do país e do governo, também em rastreamento de pessoas que incomodam quem está no poder.


Desde que a tecnologia de reconhecimento facial foi desenvolvida, essas câmeras já se arriscam a identificar qualquer pessoa que passe diante delas (equívocos acontecem com alguma frequência).


Os defensores do reconhecimento facial dizem que essa tecnologia torna o mundo mais seguro. Os críticos acenam com invasão de privacidade, perseguição a perfis estigmatizados e restrição à liberdade de movimento.


Seja como for, as câmeras de vigilância estão cada vez mais poderosas e mais baratas, se espalhando por toda parte.


Entre as 20 regiões metropolitanas mais populosas do mundo, o emprego das câmeras de vigilância varia tremendamente. Os países asiáticos são os adeptos mais entusiasmados, seguindo os passos da China.


Na Índia, em Hyderabad, um centro de tecnologia da informação, outsourcing e biotecnologia, são 30 câmeras a 1.000 habitantes. Em Delhi, a capital do país, são 14 câmeras. Em Karachi, no Paquistão, 4 por 1.000. Em compensacão, em Tóquio a proporção baixa a 1 por 1.000.


O Brasil entra com 10 cidades no ranking das 150 cidades mais populosas, mas nenhum destaque no uso das câmeras de vigilância.


A primeira cidade a aparecer na lista é Salvador, com 1,2 câmera a cada 1.000 habitantes, no 69º lugar. É seguida pelo Rio de Janeiro, com 1 câmera por 1.000 habitantes, na 72ª posição, e por Porto Alegre, com 0,81, na 80ª.


Os lugares preferenciais das câmeras no mundo | Mapa: Comparitech

Veja mais: 9 coisas que é preciso saber sobre vigilância social


#Londres #Índia