• Sandra Carvalho

Austrália muda hino nacional para incluir aborígenes

O passado de dezenas de milhares de anos dos povos indígenas passa a ser reconhecido.


Mural em Sheep Hills, no estado de Vitória | Foto: cc Denisbin/Flickr

Até ontem, o hino nacional da Austrália dava a entender que a história do país começara com a colonização inglesa, no século 18. Hoje, uma nova versão tenta integrar os povos aborígenes e seu longo passado de mais de 60 mil anos no território australiano.


O hino mencionava uma Austrália "jovem e livre". Agora, se refere a uma Austrália "una e livre". Saiu "For we are young and free" e entrou "For we are one and free".


A mudança ocorre num momento de fortalecimento da defesa dos direitos dos povos aborígenes, revigorada pelo movimento "Vidas Negras Importam". A organização Representation in Anthem vinha reivindicando um hino mais inclusivo desde 2016.


O primeiro-ministro Scott Morrison, que é conservador, anunciou a mudança, afirmando que ela reconhece mais de 300 povos ancestrais e línguas da Austrália, num artigo publicado no

jornal Sydney Morning Herald.


"Como uma nação moderna, a Austrália pode ser relativamente nova, mas a história do nosso país é antiga, como são as histórias dos muitos povos das Primeiras Nações, cuja condução reconhecemos e respeitamos", escreveu.


A alteração pode ser considerada um avanço, mas nem por isso deixou de receber críticas de ativistas dos povos aborígenes. "Vamos fingir que todas as pessoas que vivem neste continente são uma grande família feliz?" perguntou Joe Williams, no Guardian.


Veja mais: Esquimó virou uma palavra maldita


#PovosIndígenas #História