• Sandra Carvalho

Azeite de oliva virgem, aliado do poder do cérebro

Cientistas acham que o azeite ajuda a afastar vários tipos de demência.


Azeite de oliva virgem: uma dose extra contribui para manter o cérebro jovem | Foto: cc0 Steve Buissine/Pixabay

Se testes em cérebros de ratos podem indicar o que se passa nos cérebros dos humanos, vamos correr para a próxima loja e comprar um estoque de azeite de oliva virgem. Com uma dose extra desse superalimento na dieta, nossos cérebros têm chance permanecer jovens por muito mais tempo.


Pesquisadores da Universidade Temple, de Filadélpia, acabam de acrescentar mais algumas qualidades à já apreciável lista de vantagens oferecidas pelo azeite de oliva virgem.


O azeite é um superalimento conhecido há tempos por proteger as células contra os radicais livres e por sua capacidade de frear doenças ligadas ao envelhecimento, principalmente as cardiovasculares.


Mais recentemente, os cientistas descobriram que o azeite de oliva virgem ajuda a preservar a memória e protege contra a doença de Alzheimer.


Agora os pesquisadores da Universidade Temple viram que o azeite pode ajudar na defesa de um outro tipo de dêmencia, além do Alzheimer.


Testes em ratos mostraram que o azeite de oliva virgem age contra a demência frontotemporal. Esse tipo afeta as áreas do cérebro próximas da testa e dos ouvidos e costuma aparecer entre os 40 e 65 anos.


Seus efeitos são catastróficos: essa demência muda a personalidade e o comportamento das pessoas e cria problemas de linguagem e escrita. Mais: prejudica a memória e o aprendizado baseado em experiências.


Segundo a pesquisa, o azeite de oliva virgem é eficaz contra o acúmulo da proteína tau no cérebro. Essa acumulação leva à decadência dos processos cognitivos e conduz à demência.


O estudo sobre o azeite de oliva foi publicado no jornal Aging Cell.


#Alimentos #Alzheimer #Cérebro #Demência #Envelhecimento #Superalimentos #UniversidadeTemple