Baía da Guanabara tem pelo menos 7 vezes mais microplástico que baías da Europa

Os microplásticos invadem oceanos do mundo inteiro, com maior ou menor intensidade.


Baía da Guanabara e aeroporto: bela paisagem e muito microplástico | Foto: cc0 Wikimedia Commons

Os microplásticos estão invadindo os oceanos do mundo inteiro. Na Baía da Guanabara, no estado do Rio, essa onda poluidora tem uma força descomunal. É o que mostram dados divulgados hoje pelo jornal O Globo.

Pesquisas da PUC-Rio encontraram 7,1 partículas de plástico por metro cúbico perto do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Outro estudo, da Universidade Federal Fluminense (UFF) , registrou 16,4 itens por metro cúbico em Niterói.

Isso é pelo menos sete vezes mais do que se vê em baías da Europa citadas pelo jornal. Na Baía de Brest, França, o índice é de 0,24 item por metro cúbico. No mar Mediterrâneo Ocidental e no mar Adriático, de 1,0 por metro cúbico.

Microplásticos, como se sabe, são partículas de plástico de menos de 5 milímetros. São uma ameaça séria aos ecossistemas marinhos.

Um estudo sobre esse tipo de poluição na baía de San Francisco, Estados Unidos, indicou que um consumidor médio de peixes, camarões e frutos do mar na região poderia estar ingerindo junto com eles 11 mil itens de microplástico por ano.

Na baía de San Francisco há 700 mil partículas de microplástico por quilômetro quadrado - trata-se da baía mais poluída dos Estados Unidos.

#Europa #Microplásticos #Plástico #PoluiçãodaÁgua #PUCRio #RJ #UFF