• Sandra Carvalho

Beber muita cerveja dá mais que alegria: dá arritmia


Não é preciso uma bebedeira homérica para o álcool começar a afetar o coração.


Oktoberfest: bebida demais causa taquicardia até em pessoas normais   | Foto: cc0 Pixabay

Os cientistas alemães que estudaram o consumo agudo de álcool na Oktoberfest de Munique, a mais famosa do mundo, chegaram à seguinte conclusão: esse consumo dá arritmias cardíacas.


Eles estudaram 3.028 pessoas durante os 16 dias do festival em 2015, em que 5,9 milhões de pessoas beberam 7, 5 milhões de litros de cerveja.


Os médicos analisaram a respiração dessas 3.028 pessoas com smartphones que elas mesmas seguravam com as duas mãos (casos extremos de bebedeira foram excluídos do estudo).


Paralelamente, dois cardiologistas analisaram eletrocardiogramas. A conclusão do estudo é que o consumo agudo de álcool causa arritmias cardíacas, em particular taquicardias do tipo sinusal, em pessoas normalmente saudáveis.


A taquicardia sinusal se caracteriza por frequência cardíaca em repouso de mais de 100 batimentos por minuto. Mais de 25% dos participantes no estudo tiveram a taquicardia.


O estudo foi conduzido por uma equipe médica liderada pelo professor Moritz Sinner, da Universidade de Munique, e publicado pelo European Heart Journal, da Sociedade de Cardiologia Europeia.


Os cientistas focaram principalmente em alemães (69%), mas incluíram também estrangeiros nas análises. No total, abrangeram pessoas de 60 diferentes países.


#Álcool #Arritmias #Bebidas #Celulares #Cerveja #Eletrocardiogramas #Taquicardias