• Sandra Carvalho

Body Shop americana vai empregar o 1º que chegar

É o sistema de contratação aberta, que dispensa entrevistas e checagem de currículo.


Produtos da Body Shop
Produtos da Body Shop: a rede tenta fazer diferente | Foto: reprodução The Body Shop/Facebook

Quem chegar primeiro leva a vaga, se preencher os requisitos mínimos - esse é o sistema de contratação aberta, que evita discriminar quem já esteve na prisão ou foi pego num teste de drogas.


O sistema foi bolado pela empresa social Greyston Bakery, de Nova York, e testado em seu centro de distribuição da Carolina do Norte. As únicas perguntas feitas para contratar gente para seu centro de distribuição:


1) Você tem autorização para trabalhar nos Estados Unidos?


2) Consegue ficar de pé até oito horas?


3) Consegue carregar mais de 23 quilos?


O RH da Body Shop (#BodyShop) americana estudou os resultados da Greyston Bakery e decidiu adotar o sistema em seu próprio sistema de distribuição.


Deu certo: o turnover caiu 60%. O dinheiro economizado em recrutamento, avaliação de currículos, entrevistas e checagem de informações agora deve ser empregado em treinamento de funcionários e benefícios para eles.


A ideia da Body Shop é implantar o sistema de contratação aberta em todas suas lojas de varejo a partir de meados do ano, segundo a Fast Company, que fez um relato detalhado da experiência. As lojas empregam cerca de 800 pessoas. ✔︎


Veja mais: Os EUA querem talentos indianos. E os brasileiros?