• Sandra Carvalho

Burnout tem muito a ver com depressão?

Um grupo de cientistas americanos sugere que sim, nadando contra a corrente.


Burnout e depressão: agora associados | Foto: cc0 Francisco Gonzalez/Unsplash

O burnout, a exaustão causada pelo stress crônico, costuma ser considerado um problema de trabalho, muito diferente da depressão.


Um grupo de cientistas americanos, da Universidade Médica da Carolina do Sul (MUSC), Harvard e Universidade de Michigan (UMich), tem outra explicação para o fenômeno.


Para eles, os fatores que levam ao burnout são muito próximos dos fatores que conduzem à depressão.


Os pesquisadores levantaram 142 diferentes definições de burnout na literatura médica, o que no mínimo indica certa falta de clareza sobre o tema. Sintomas depressivos, ao contrário, são bem definidos na literatura e validados clinicamente.


Os cientistas fizeram um estudo com 1.552 residentes de Medicina em 68 instituições, focando em sintomas depressivos, exaustão emocional, despersonalização e outros fatores.


A conclusão foi que os fatores que contribuem para depressão e para o burnout se sobrepõem, sendo dois terços deles relacionados a questões pessoais, e um terço a problemas de trabalho.


Eles sugeriram que soluções para resolver problemas de depressão podem ser úteis para tratar burnout e vice-versa. O estudo foi publicado no Journal of General Internal Medicine.


Veja mais: Burnout pode afetar o coração

Burnout, a exaustão causada pelo stress do trabalho


#Burnout #Depressão #Harvard #Medicina #MUSC #TranstornosMentais #UMich