• Sandra Carvalho

Cabras já respeitam cercas virtuais na Noruega

Os animais são controlados por coleira com GPS no pescoço, capaz de dar choques.


Cibercabra
Cabra com a tecnologia no pesçoço: a criação fica mais barata sem as cercas físicas | Foto: Roger Søraa/NTNU

Mais de 2.400 fazendeiros da Noruega estão criando cabras sem qualquer tipo de cerca física. Os animais carregam uma coleira com GPS que solta um bipe se eles se aproximam dos limites virtuais da pastagem. Se não recuam, levam um pequeno choque elétrico.


Sempre que uma cabra sai do terreno delimitado virtualmente, os fazendeiros também são avisados do problema por celular ou tablet. Com a tecnologia, chamada de CiberCabra, eles também podem ver se algum animal ficou preso ou está sendo perseguido.


As cercas invisíveis foram criadas pelo Ruralis, instituto de pesquisa rural e regional da Noruega, e pela Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia (#NTNU).


Cercas tradicionais dão trabalho para instalar e manter, e saem caro. Criar cabras para produzir leite ou carne não é necessariamente a atividade principal das pessoas na Noruega. Com frequência, é a segunda ocupação, com a qual não compensa gastar muito tempo ou dinheiro.


"A tendência em agricultura é a mecanização e a digitalização, o que significa menos mãos necessárias para realizar mais tarefas", observou Roger Søraa, do Ruralis e da NTNU, um dos nomes por trás da CiberCabra.


Atualmente há cerca de 27 mil animais com a coleira das cercas virtuais na Noruega. Além das cabras, vacas e ovelhas já começam a passar por testes de larga escala com a tecnologia.


Como cabras são consideradas animais mais inteligentes, diversos fazendeiros estão mais céticos quanto à probabilidade de sucesso com os outros animais. Confira o caso das cabras nesse vídeo:



Veja mais: Vacas fazem xixi em toaletes. Isso tem algum sentido?