• Sandra Carvalho

Canhotos são melhores em basquete, tênis de mesa e críquete. Por quê?

Esses esportes são muito rápidos, e os canhotos se dão bem sob pressão do tempo.


Canhotos: eles aguentam mais a pressão | Foto: reprodução Facebook/NBA

Há um número desproporcional de canhotos entre os atletas de elite de determinados esportes, sobretudo naqueles em que a pressão do tempo é maior.


Se a proporção de canhotos entre a população é de 10,3%, no basquete, no tênis de mesa e no críquete ela é muito maior, podendo chegar até a 30, 4%.


O que isso indica? Para o psicólogo especializado em esportes Florian Loffing, da Universidade Carl von Ossietzky de Oldenburg, essa concentração maior de canhotos em esportes em que tudo acontece muito rápido sugere que eles se dão particularmente bem sob pressão do tempo.


Seu estudo foi publicado na quarta-feira no jornal Biology Letters.


Loffing não descarta totalmente a conhecida tese de que os canhotos vencem em esportes porque pegam os adversários de surpresa com seus movimentos pouco usuais, já que fogem do padrão mais comum dos destros.


Ele argumenta apenas que essa explicação não é suficiente sozinha.


Uma prova disso seria uma concentração 2,6 maior de canhotos em esportes particularmente submetidos a pressão do tempo, como basquete, tênis de mesa e críquete, do que em outros esportes sob menor pressão do tempo, como squash, tênis e badminton.


#Canhotos #Esporte #Psicologia #UniversidadedeOldenburg