• Sandra Carvalho

Carne orgânica é melhor para você, mas para o ambiente...

O problema são os gases de efeito estufa que a criação dos animais emite.


Carne
Carne de animais, seja orgânica ou convencional: custo alto para o planeta | Foto: cc0 Jez Timms/Unsplash

Um bom bife orgânico e um bife de carne convencional, do ponto de vista do meio ambiente, dão quase na mesma. Ambos despejam na atmosfera uma quantidade indesejável de gases de efeito estufa - o bife orgânico emite uma quantidade de gases apenas ligeiramente menor.


Essa é a conclusão de um estudo três cientistas europeus, da Universidade Técnica de Munique (TUM), Universidade de Greifswald e Universidade de Augsburg, todas da Alemanha.


A carne orgânica, de vaca ou cordeiro, colabora com o planeta porque os animais são criados sem o uso de produtos com fertilizantes em sua alimentação, poupando o ambiente de mais gases de efeito estufa.


Em compensação, dizem os cientistas, animais criados de forma orgânica demoram mais para crescer e produzem menos carne. Mais cabeças são necessárias para chegar à mesma quantidade de produto nas prateleiras. Resultado: acaba-se liberando mais metano ao longo do tempo.


O estudo afirma que as galinhas orgânicas chegam a emitir ligeiramente mais gases de efeito estufa que as galinhas criadas da forma convencional. Já os porcos orgânicos, conforme a pesquisa, emitem ligeiramente menos que os criados convencionalmente.


O estudo foi publicado no jornal Nature Communications.


Os cientistas sugerem que os danos ao ambiente causados pela produção carne em geral sejam precificados e compensados por impostos.


Os pesquisadores se fixaram na emissão de gases de efeito estufa, mas reconheceram que a produção orgânica é superior em outros aspectos às criações convencionais. Além de dispensar os fertilizantes, evita pesticidas, que prejudicam tanto o meio ambiente.


Veja mais: Fritou, grelhou, tostou? Ferrou, se for carne vermelha


#ProdutosOrgânicos #TUM #UniversidadedeAugsburg #UniversidadedeGreifswald