• Sandra Carvalho

China fecha todas as portas para o lixo importado

A partir de dia 1º de janeiro nenhum tipo de resíduo sólido poderá entrar no país.


Pequim: banimento total de resíduos sólidos | Foto: cc0 Gigi/Unsplash

A China já foi a maior importadora de lixo do mundo, aliviando os Estados Unidos e a Europa do peso de seus detritos. Mas a tolerância do país com as importações de lixo vem diminuindo nos últimos três anos, e vai acabar definitivamente no primeiro dia de 2021.


O Ministério da Ecologia e Meio Ambiente já avisou que nenhum resíduo sólido poderá entrar na China em qualquer forma no ano que vem. O país começou a importar os detritos dos países ricos como fonte de matéria-prima nos anos 80.


O que parecia ser uma solução para um problema industrial acabou se tornando uma ameaça ao meio ambiente e à saúde pública, porque não foi possível reaproveitar ou reciclar grande quantidade do lixo importado.


De 2016 a 2019, as importações de resíduos sólidos já caíram de 46,5 milhões de toneladas para 13,5 milhões de toneladas. E este ano, até 15 de novembro, foram importadas apenas 7, 2 milhões de toneladas de detritos, 41% a menos que no ano passado.


Na China, o fim importações de lixo alivia as pressões sobre o meio ambiente e a saúde pública.


Nos Estados Unidos e países da Europa que usavam o país como destino final de seu lixo, é mais um alerta sobre a quantidade excessiva de detritos produzida e a baixa proporção de resíduos reciclados.


Veja mais: Como os Estados Unidos atulham o lixo de plástico


#Lixo