• Sandra Carvalho

Cidades italianas tentam domar o turista, e banem até pau de selfie

Roma, Milão, Florença, Veneza... as restrições ao overturismo crescem por toda parte.


 Roma: esforço contra os excessos do turismo   | Foto: cc0 Pixabay

Em Roma, quem entra numa fonte para brincar na água ou sentar no mármore pode receber uma multa de 240 euros.


Em Milão, estão proibidos os paus se selfie nas ruas da cidade, para desapontamento dos fashionistas.


Em Florença, quem se senta nas escadarias das igrejas históricas na hora do almoço para fazer um lanchinho pode ganhar um jato d'água.


As cidades turísticas da Itália tentam manter sob controle o enorme fluxo de turistas que invade suas ruas e monumentos históricos durante o ano todo, mas, particularmente, no verão.


A lista de proibições é longa, e em algumas cidades inclui bebidas alcoólicas a partir de determinados horários.


Entre os vetos de Milão estão, além dos paus de selfie, bebidas em garrafas de vidro ou latas, food trucks e fogos de artifício.


De madrugada, nada de bebida


Em Roma, em 14 bairros está proibido o consumo público de bebidas alcoólicas em embalagens de vidro das 10 da noite às 7 da manhã. Essa não é uma medida inédita, mas não abrangia tantas áreas da cidade.


Depois da meia-noite, está banido qualquer consumo público de álcool, não importa a embalagem.


Após 2 da manhã, bebidas alcóolicas não podem ser servidas nem em ambientes internos de bares ou restaurantes.


A multa é de 150 euros. Para comerciantes que vendam álcool nesse horário vetado, a multa chega a 280 euros.


Em Veneza, estão proibidos novos estabelecimentos de kebab e fast food, e até os de pizza em pedaço foram banidos.


"Queremos brecar os tipos de atividades que não são compatíveis com a preservação e o desenvolvimento da herança cultural de Veneza", disse Paola Mar, a diretora de Turismo da cidade, ao Guardian.


#Cidades #Milão #Overturismo #Roma #Turismo #Veneza #Viagens