• Sandra Carvalho

Cocô de aves marinhas vale 470 milhões de dólares

A estimativa é de pesquisadores da Universidade Federal de Goiás.


Pelicanos peruanos: uma das aves marinhas que mais produzem fezes comercializáveis | Foto: cc4 Wikimedia Commons

Dois pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG) puseram um preço na contribuição que as aves marinhas dão às pessoas e aos ecossistemas: 470 milhões de dólares (2,5 milhões de reais) por ano .


O valor é calculado com base no cocô de aves como os pelicanos, que pode ser usado como fertilizante.


O guano das aves marinhas, como as suas fezes acumuladas são chamadas, é rico em nitrogênio e fósforo. Pode ser usado como fertilizante orgânico, e de fato é utilizado assim no Peru e no Chile.


Os pesquisadores, Marcus Cianciarusso, professor de Ecologia da UFG, e Daniel Plazas, estudante de doutorado da universidade, calcularam o valor do guano com base nos preços dos fertilizantes inorgânicos que teriam de ser usados para substituí-lo.


"A produção de guano é um serviço do ecossistema feito pelas aves marinhas sem custo para nós", observou Cianciarusso. "Posso ir a uma ilha, coletar o guano e vender com preço de mercado como fertizante."


Há espécies de aves marinhas que produzem guano que não é comercializável, mas que também têm seu valor, porque depositam nutrientes no solo que as aves frequentam.


Em recifes de corais, por exemplo, o guano pode aumentar 48% da biomassa de peixes desse ecossistema. Peixes que a seguir são pescados e vendidos.


A pesca comercial nos recifes de corais movimenta mais de 6 bilhões de dólares por ano. Se 10% desse número forem acrescentados ao guano das aves marinhas, seu valor sobe de 470 milhões de dólares ao ano para 1 bilhão.


O estudo foi publicado no jornal Trends in Ecology & Evolution.


Veja mais: Cocô revela mais pinguins na Antártica


#Aves #Ecologia #Cocô #Guano #Pássaros #Peixes #RecifesdeCorais #UFG