• Sandra Carvalho

Sopa de barbatana de tubarão está longe de ser inocente

O comércio de barbatanas coloca em risco espécies já ameaçadas de tubarões.


Tubarões: o comércio de barbatanas persiste |  Foto: cc0 Jacob Owens/Unsplash

A venda de barbatanas de tubarões e de guelras de arraias para fins medicinais é um negócio global. Infelizmente, esse comércio busca sua matéria-prima em espécies ameaçadas de extinção.


Cientistas da Universidade de Guelph (U of G) , no Canadá, analisaram amostras de barbatanas e guelras em mercados do Canadá, China e Sri Lanka e constataram que 71% são de espécies ameaçadas.


Em tese, comércio internacional dessas espécies é proibido, para permitir a preservação dos animais.


O estudo foi publicado ontem no jornal Scientific Reports.


A sopa que faz tantos estragos com as barbatanas   | Foto: Jacob Owens/baiterek_media/Fotolia

"Apesar da controvérsia em torno da sopa de barbatana de tubarão e do fato de muitas espécies desse animal estarem ameaçadas, ainda há um amplo mercado para barbatanas de tubarão e uma demanda crescente por pratos de guelras de arraias", comentou Dirk Steinke, um dos autores do estudo, professor de biologia da Universidade de Guelph, num comunicado da universidade.


O comércio de partes de peixes como alimentos medicinais vem crescendo desde meados dos anos 80, segundo o estudo, com forte presença da pesca ilegal.


Uma análise dos mercados asiáticos indicou que que de 26 a 73 milhões de tubarões são pescados por ano apenas para comércio de barbatanas.


As estimativas mais recentes para arraias citadas no estudo referem-se a 130 mil animais mortos em 2013 no sul da China por causa de suas guelras.


Os cientistas coletaram amostras em 129 mercados, referentes a 20 espécies de tubarões e arraias. Das 20, 12 são teoricamente protegidas, e seu comércio é ilegal.


#AnimaisAmeaçados #Tubarões #UofG