• Sandra Carvalho

Comida ou sexo? Provavelmente, comida

Quando faltam os dois, o cérebro tende a optar pela comida, dizem cientistas.


Mosca-da-fruta
Mosca-da-fruta: cérebro com comportamentos complexos | Foto: cc PauloMelo.adv/Wikimedia Commons

As moscas-das-frutas são frequentemente usadas pelos neurocientistas para investigar como os cérebros se comportam.


Elas têm comportamentos complexos, como memória e aprendizado, mas um cérebro bem mais simples do que o dos humanos. Em vez dos nossos 86 bilhões de neurônios, exibem apenas cerca de 100 mil.


Cientistas da Universidade de Birmingham (#UniversidadedeBirmingham) estudaram as moscas-das-frutas (Drosophila) para ver como é processo de decisão quando um indivíduo está privado tanto de comida quanto de sexo.


Segundo as #moscas, a #comida vem em primeiro lugar. Machos foram mantidos longe de alimentos e de fêmeas e provocados em intervalos a escoher entre a comida e as fêmeas. A partir de 15 horas de jejum, passaram a optar pelos alimentos. Saciados, voltaram a preferir o sexo.


“Os neurônios que dizem à mosca para comer ou acasalar estão essencialmente competindo entre si”, observou a bióloga Carolina Rezaval, que liderou o estudo. “Se a necessidade de comer for mais urgente, os neurônios da alimentação assumirão o controle; se a ameaça de fome for menor, então o desejo de se reproduzir vencerá.”


O estudo foi publicado no periódico Current Biology. Pesquisas desse tipo, focadas no processo de decisão, podem ajudar a entender o que acontece no cérebro humano em casos de vícios e de doenças como Parkinson e Alzheimer.


Veja mais: Vale a pena salvar essa mosca terrível da extinção? É possível


#UniversidadedeBirmingham