• Sandra Carvalho

Como os gatos selvagens africanos viraram essas coisas fofas no sofá?

Tudo começou há 9 mil anos, com os gatos caçando ratos no Oriente Próximo.


Gato: criatura adoravél depois de milhares de anos de domesticação   |  Foto: cc0 Sabri Tuzcu/Unsplash

Gatos selvagens são solitários, caçadores territoriais, sem a menor estrutura social por trás. Como eles puderam se tornar esses adoráveis animais de estimação? A ciência explica.


Pesquisadores da Universidade Catótica de Leuven, na Bélgica (KU Leuven) , da Universidade de Paris Diderot (Paris 7) e vários outros institutos europeus estudaram o DNA e o trajeto dos gatos selvagens nos últimos 9 mil anos, e puderam responder a essa pergunta.


Seu estudo de paleogenética foi publicado no jornal Nature Ecology & Evolution.


Os cientistas analisaram os restos de mais de 200 gatos, de sites da Idade da Pedra a múmias egípcias, passando por túmulos de vikings. Extraíram DNA dos ossos e dentes e compararam com gatos modernos.


Estudaram gatos da Europa, do Norte e do Leste da África e do Sudeste da Ásia. Sua conclusão: os gatos domesticados de hoje vieram do gato selvagem africano Felis silvestris lybica, uma das cinco subespécies da espécie Felis silvestris.


A domesticação, segundo o estudo, se deu em duas ondas.


Sempre atrás dos ratos


A primeira onda aconteceu no Oriente Próximo, onde a agricultura surgiu. Quando os primeiros agricultores começaram a estocar grãos cultivados, os grãos atraíaram os ratos.


Os ratos atraíram os gatos selvagens. Estava aí selada a primeira aliança dos homens com os gatos, há 9.000 anos.


"Não é que os humanos pegaram alguns gatos e puseram dentro de gaiolas", disse um dos autores do estudo, Claudio Ottoni, da Universidade de Leuven, ao site da National Geographic.


Do Oriente Próximo, os gatos foram para a Bulgária e a Romênia, cerca de 6.000 anos atrás.

A segunda onda de domesticação ocorreu milhares de anos depois, no Egito, onde os gatos eram populares.


De lá eles se espalharam para a Europa, durante o Império Romano. O processo começou a partir de 1.500 A. C.


Os navios vikings foram importantes na dispersão dos gatos pelo mundo.


Como eles armazenavam comida para longas viagens, naturalmente atraíam os ratos. E recorriam aos gatos para dar cabo deles.


Durante a Idade Média ocorreu a mutação genética que alterou o padrão de pelos dos gatos, já refletindo a reprodução dos bichanos com a domesticação.


Antes o padrão do pelo dos gatos era de listras, parecidas com espinha de peixe, como do gato selvagem africano. Depois, o padrão malhado, de manchas irregulares, se tornou comum.


O gato malhado a apareceu inicialmente no século 14 na Turquia. No século 19, já se tornara banal.


Hoje, dentro das casas, fica difícil enxergar nos gatos seu passado selvagem. Mas a famosa independência felina não seria um resquício dessa época?


A Nature Video fez produziu um resumo leve do estudo dos gatos, num vídeo de 3:27, hospedado no YouTube.



Veja mais: Até os gatos estão ficando gordos nos Estados Unidos


#Domesticação #Gatos #Genética #KULeuven #Natureza #Paleogenética #Paris7 #VidaSelvagem