• Sandra Carvalho

Coração de silicone bate quase igual ao coração humano

Pode ser uma solução provisória para quem está na fila dos transplantes cardíacos.


Coração feito de silicone: solução transitória até o transplante final | Imagem: reprodução ETH Zurich

Um coração de silicone, que bate quase como o coração humano, reacendeu nesta semana as esperanças dos 26 milhões de pessoas que sofrem de insuficiência cardíaca.


No futuro, esse tipo de coração poderá se tornar uma solução transitória para os doentes que esperam nas filas dos transplantes cardíacos.


Moldado em impressora 3D, com a técnica de fundição de cera perdida, o coração tem 390 gramas.


Foi desenvolvido pelo Instituto Federal de Tecnologia de Zurique, conhecido com ETH Zurich, onde estudou Albert Einstein.


"Nosso objetivo é desenvolver um coração artificial que seja basicamente do tamanho do coração do paciente e que imite o coração humano tão próximo quanto possível na forma e na função", disse Nicholas Cohrs, que criou o coração, num comunicado da universidade. Ele está fazendo doutorado na ETH Zurich.


Na definição de Cohrs, o coração é um monobloco de silicone com uma estrutura interna complexa. No momento, o coração de silicone tem uma limitação de 3.000 batidas, durando entre meia-hora e 45 minutos. Para ser usado na vida real, fora dos laboratórios, ainda terá de evoluir bastante.


Veja no vídeo da ETH Zurich hospedado no YouTube o coração batendo de verdade.



#DoençasdoCoração #ETHZurich #Impressão3D #Transplantes