• Sandra Carvalho

Coronavírus: perda do olfato e do paladar não é mais palpite

Cientistas da Universidade da Califórnia sugerem que isso deve ser considerado sintoma.


Na hora de procurar sintomas, não basta olhar para febre, tosse e dificuldade para respirar | Foto cc0 David Veksler

Depois de tantos relatos de doentes com Covid-19 apontando a perda da capacidade de sentir cheiro e gosto, um grupo de cientistas da Universidade da Califórnia em San Diego (UCSD) decidiu mergulhar a fundo no assunto.


Eles fizeram o primeiro estudo empírico que associa fortemente a perda de olfato e paladar ao novo coronavírus. Se essa perda ocorre, dizem, há 10 vezes mais chances de que alguém esteja com Covid-10 do que com qualquer outra infecção.


Para os pesquisadores, deixar de sentir cheiro e gosto é um sinal precoce do novo coronavírus. Eles supervisionaram 1.480 pacientes com sintomas semelhantes ao da gripe e com possibilidade de ter Covid-19 entre os dias 3 e 29 de março. Desse total, 102 testaram positivo para Covid-19.


Apenas os pacientes infectados pelo novo coronavírus sentiram perda de olfato e paladar. E não foi uma perda qualquer: os cientistas a descreveram como profunda. A recuperação desses sentidos ocorreu usualmente dentro de duas a quatro semanas de infecção.


A sugestão dos pesquisadores da UCSD é que a perda de olfato e paladar seja encarada como um sintoma do novo coronavírus e seja considerada nas triagens para detectar o vírus em todo o mundo. O estudo foi publicado no jornal Allergy & Rhinology.


#Coronavírus #Doenças #Epidemias #Vírus #UCSD