• Sandra Carvalho

Corvo urbano tem colesterol mais alto

Quanto mais perto das cidades, mais alto o nível de colesterol.


Corvo americano: restos de fast food aumentam o colesterol | cc0 Andrea Townsend

Ninguém come fast food impunemente. Cientistas americanos compararam o sangue de corvos de áreas rurais, periféricas e urbanas da Califórnia. Os corvos das cidades tinham mais colesterol que os outros.


Nos testes, quanto mais perto da cidade, mais aumentou o nível de colesterol das aves. O motivo é óbvio: a oferta de restos de alimentos humanos para os corvos. E fast food sobra nas ruas mais centrais.


Para tirar a prova dos nove, os cientistas alimentaram ninhos de corvos de uma área rural de Nova York com cheeseburger do McDonald's. Eles ficaram com colesterol mais alto do que as aves sem essa suplementação de sanduíches.


Outros estudos já tinham mostrado que animais que vivem próximos de humanos, como raposas, pardais e tartarugas, ficam com níveis maiores de colesterol.


No caso dos corvos americanos, o colesterol mais alto não teve efeito negativo na taxa de mortalidade dos corvos. Os restos de comida humana até fortaleceram as aves.


Isso talvez se deva ao fato de que os efeitos maléficos do colesterol sejam sentidos a longo prazo. Corvos urbanos em geral tendem a viver menos que os de áreas rurais.


O estudo, de pesquisadores do Hamilton College e da Universidade da Califórnia em Davis, foi publicado em The Condor, Ornithological Applications.


#AnimaisUrbanos #Aves #Califórnia #Cidades #Colesterol #UCDavis