• Sandra Carvalho

Covid: 6 certezas e 3 dúvidas sobre a vacina da Pfizer

A empresa anunciou uma eficácia de mais de 90% contra o novo coronavírus.


Pfizer: saindo na frente | Imagem: reprodução do Facebook da Pfizer

A multinacional Pfizer, com sede em Nova York, e sua parceira alemã BioNTech anunciaram hoje que a vacina contra o novo coronavírus que desenvolvem é eficaz em 90% dos casos.


A vacina, em seu terceiro e último estágio de testes, é a primeira a divulgar uma performance tão impressionante contra o SARS-CoV-2 entre as desenvolvidas mais convencionalmente. Esperava-se uma taxa bem mais baixa.


A notícia chega em boa hora, pois 50,6 milhões de pessoas já foram contagiadas na pandemia e mais 1,2 milhão perderam a vida com o novo coronavírus.


Os resultados, que são preliminares, foram analisados por um painel de especialistas de fora das empresas e divulgados num press release.


Como não se trata de estudo definitivo nem de uma análise revisada por pesquisadores independentes num periódico científico, os dados precisam ser encarados com a devida cautela.


Por enquanto, eis o que se sabe, com base apenas no material de divulgação das empresas:


1 - A taxa de eficácia de mais de 90% da vacina da Pfizer e da BioNTech foi registrada 7 dias após a segunda dose, aplicada 21 dias depois da primeira.


2 - A imunidade foi averiguada num estudo massivo, com 43 mil pessoas. Metade recebeu a vacina e metade, placebo.


3 - Durante os testes, houve 94 casos confirmados de Covid-19 entre os participantes dos ensaios clínicos. O estudo prosseguirá até a análise de 164 casos confirmados.


4 - A vacina se mostrou preliminarmente segura nos testes, já que não houve qualquer caso grave de efeito colateral até agora, segundo as empresas. Uma análise completa de dois meses de vacinação do ponto de vista de segurança será divulgada na terceira semana deste mês. Os estudos completos desse quesito vão durar dois anos.


5 - A expectativa é de produzir 50 milhões de doses da vacina no mundo ainda em 2020 e até 1,3 bilhões de doses no ano que vem.


6 - O transporte da vacina será extremamente complicado, pois deverá ser feito em ambientes refrigerados com 70 graus Celsius abaixo de zero.


O que não sabe sabe sobre a vacina:


1 - A duração da imunidade da vacina da Pfizer e da BioNTech é algo que ficará no ar por enquanto, pois a comprovação da eficácia a longo prazo vai depender de o tempo passar, da mesma forma como vai ocorrer com todas as outras vacinas.


2 - Ainda não foi divulgado se a vacina previne casos graves de Covid-19, do tipo de que exige hospitalização e até mata, nos poucos casos em que as pessoas vacinadas contraem a doença.


3 - Também não sabe sabe se a vacina evita casos assintomáticos de Covid-19.


A vacina da Pfizer e da BioNTech é baseada na tecnologia mRNA, que insere em células das pessoas vacinadas instruções genéticas para produzir uma proteína semelhante à proteína S (de spike) do novo coronavírus, levando à produção de anticorpos contra a Covid-19.


Veja mais: Filme brasileiro protege alimentos de coronavírus


#Pfizer