• Sandra Carvalho

Dá para fazer alguma coisa realmente perigosa com o celular? Dá

Atravessar a rua digitando mensagens está virando problema de sobrevivência no trânsito.


Pedestre na rua distraído com celular: cada vez mais comum | Foto: cc0 Cristofer Jeschke/ Unsplash

Aproximadamente 270 mil pedestres morrem todos os anos em ruas e estradas - um quinto das vítimas fatais de acidentes de trânsito.


Entre as causas, surge cada vez mais a distração dos próprios pedestres. Ela coincide com o número cada vez maior de pessoas que andam usando o celular nas calçadas e ao cruzar as ruas.


Pesquisadores canadenses da Universidade de Calgary (U of C) analisaram 33 estudos sobre o impacto do uso do celular na segurança do trânsito.


Sua primeira conclusão: ouvir música no celular não aumenta em nada o risco para os pedestres.


A segunda: falar ao celular atrapalha muito pouco, mas atrapalha: aumenta o tempo para começar a atravessar a rua e diminui muito ligeiramente as chances de cruzar até o fim com segurança.


Escrever mensagens de texto emergiu como o comportamento mais perigoso. Isso foi associado a olhar menos para a esquerda e a direita antes de atravessar a rua.


Mais: digitar ao celular foi ligado a um aumento moderado de colisões e quase colisões com outros pedestres e veículos, e também a um maior tempo gasto para cruzar as ruas.


Baseados em oito estudos de observação de comportamento de pedestres, os pesquisadores constataram que entre 12% e 45% deles tinham problemas de distração.


A pesquisa da Universidade de Calgary foi publicada no jornal Injury Prevention.


#AcidentesdeTrânsito #Celulares #Mensagens #Pedestres #Trânsito #UofC