• Sandra Carvalho

Dá para ser um bom lutador ou um bom corredor. Um dos dois

Quem luta bem corre mal, dizem cientistas da Universidade de Utah.


 Lutadores de sumô: eficiência não se repetiria numa pista de atletismo  |  Foto: cc Hikosaemon/Wikimedia Commons

A luta física e a rapidez dos movimentos são traços essenciais da sobrevivência dos mais aptos para muitas espécies. Mas um mesmo indivíduo dificilmente é bom nas duas coisas. Um bom lutador costuma ser um mau corredor.


Basta olhar para essa foto de sumô, de final de campeonato japonês, para imaginar que os bons lutadores da imagem não seriam dos mais ágeis numa pista de corrida.


Pesquisadores da Universidade de Utah (UofU) investigaram essas duas qualidades tão importantes na evolução darwiniana em ratos em laboratório. Seu estudo foi publicado no jornal Experimental Biology.


Eles constataram que ratos que defenderam bem seu território, onde estavam várias fêmeas, não foram tão bem-sucedidos na hora de correr. Queimaram mais oxigênio que os lutadores mais fracos.


Segundo comunicado da Universidade de Utah, humanos também têm comportamentos que são baseados em agressão (para defesa de territórios) e resistência ( para corrida), então os resultados com os ratos no laboratório seriam uma pista dos trade-offs que marcaram a nossa evolução.


#Biologia #TeoriadaEvolução #UofU