• Sandra Carvalho

Devagar com a carne - se você quiser viver mais

Comer carne vermelha aumenta os riscos de doenças do coração e até de morte.


A tentação da carne: duas vezes por semana é demais? | Foto: cc0 Emerson Vieira/Unsplash

Cientistas de duas universidades americanas, Northwestern e Cornell, são taxativos: coma carne vermelha ou carne processada (bacon, linguiça, salsicha) duas vezes por semana e aumente de 3% a 7% os riscos de doenças cardiovasculares e morte prematura.


Os problemas não se encerram aí: quem come duas porções de frango por semana também corre mais riscos: 4% mais.


Como as evidências em relação a frango ainda não foram consideradas suficientes pelos pesquisadores, eles se abstêm de considerações definitivas sobre o assunto. Mas avisam: frango frito não é recomendado.


No caso da carne vermelha e das carnes processadas, os cientistas não têm meias palavras: aconselham as pessoas a diminuir seu consumo. E não só por causa dos riscos maiores de doenças cardiovasculares.


"O consumo de carne vermelha também é consistentemente ligado a outros problemas de saúde, como câncer", diz Norrina Allen, professora de Medicina Preventiva da Northwestern e uma das autoras do estudo.


Sai a carne e entra o quê? "Peixe, frutos do mar e proteína baseada em plantas como nozes e vegetais, incluindo feijão e ervilha", sugere Linda Van Horn, também professora de Medicina Preventiva da Northwestern e autora do estudo.


Os alertas contra a carne vermelha vinham sendo quase um consenso entre os médicos até novembro do ano passado, quando uma pesquisa foi contra a corrente e praticamente inocentou a carne vermelha.


O estudo da Northwestern e da Cornell volta a colocar a carne na berlinda. A pesquisa levou em consideração dados de até três décadas de 29 mil pessoas, e foi publicado no jornal JAMA Internal Medicine.


#Alimentos #Bacon #Câncer #Carne #CarnesProcessadas #CarneVermelha #Cornell #Northwestern