• Sandra Carvalho

Dieta do brasileiro hoje é pior para o corpo e o ambiente

O problema são os alimentos ultraprocessados, cujo consumo disparou.


Hambúrguer
Hambúrguer e seus acompanhamentos: quanto mais alimento ultraprocessado, mais gás de efeito estufa | Foto: cc0 Robin Stickel/Unsplash

Nos últimos 30 anos, a qualidade da dieta dos brasileiros parece ter piorado e gerado efeitos prejudiciais ao ambiente.


Com base em cinco edições da Pesquisa de Orçamentos Familiares do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e colaboradores da Inglaterra delinearam as mudanças da alimentação e o impacto ambiental associado ao consumo de cada mil quilocalorias (kcal) da dieta.


Para gerar mil kcal consumidas pelos brasileiros em 2017-18, foram emitidos 21% mais gases de efeito estufa e empregados 22% mais de água, além de ter sido usada uma área 17% maior do que em 1987-88 (Lancet Planetary Health, novembro).


No período, a proporção de alimentos não processados ou minimamente processados na dieta caiu de 52% para 42% e a de ultraprocessados (biscoitos, embutidos e refrigerantes) subiu de 10% para 23%.


O impacto ambiental relacionado ao consumo de mil kcal do primeiro tipo de alimento não variou, enquanto a emissão de gases de efeito estufa associada ao consumo do segundo cresceu 245%, o uso de água, 233%, e a área necessária para a produção 49%. ✔︎


Esse texto foi republicado da Pesquisa Fapesp de acordo com uma licença Creative Commons. Leia o original aqui.


Veja mais: Alimentos orgânicos viraram negócio de bilhões no Brasil