Dinheiro traz felicidade (quando compra tempo livre)

É uma compensação para o sentimento de escassez de tempo na vida moderna.


Felicidade: nada a ver com desfilar de Ferrari | Foto: cc0 Kal Visuals/Unsplash

Pesquisadoras das universidades de British Columbia (UBC), de Vancouver , no Canadá, e de Harvard, em Cambridge, nos Estados Unidos, estão questionando a tese de que dinheiro não compra felicidade.


Quando se compra tempo livre - como acontece quando se contrata alguém para limpar a casa - a satisfação com a vida cresce, dizem.


Isso não tem nada a ver, claro, com desfilar de Ferrari ou colecionar Prada.


O estudo foi publicado ontem no jornal PNAS, da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos. Ashley Whillans e Elizabeth Dunn pesquisaram mais de 6.000 adultos nos Estados Unidos, Canadá, Dinamarca e Holanda.


A tese das duas é na vida moderna há um sentimento das pessoas de escassez de tempo - a despeito do aumento da riqueza e da renda. Comprar tempo livre seria um tampão contra essas pressões atuais.


A pesquisa verificou quanto dinheiro as pessoas gastam para comprar tempo livre para elas próprias e como se sentem em relação a stress.


Na pesquisa, quem gastava mais dinheiro em coisas que economizam tempo indicava ter maior satisfação com a vida.


"Os benefícios de comprar tempo não são apenas para pessoas ricas", disse Elizabeth Dunn, professora de psicologia de British Columbia e uma das autoras do estudo, num comunicado da universidade.


As pesquisadoras fizeram um teste com 60 adultos relativo ao gasto de 40 dólares. Quem comprou alguma coisa que garantia mais tempo livre, em vez de um bem material, se sentiu mais feliz.


Ashley e Elizabeth observaram, no entanto, que as pessoas gastam pouco em economia de tempo. Mesmo numa amostra com 850 milionários, quase metade disse não gastar para terceirizar tarefas consideradas desagradáveis.


#Dinheiro #Felicidade #Harvard #Psicologia #UBC