• Sandra Carvalho

Poluição do ar altera o cérebro das crianças

Nelas, a alta exposição a partículas finas suspensas diminui áreas ligadas à cognição.


Cérebro: a área cognitiva fica menor nas crianças | Ilustração: cc0 Gerd Altmann/Pixabay

O tamanho do cérebro de crianças muito expostas a PM2,5 - aquelas partículas finas minúsculas de poluição suspensas no ar - pode mudar, aumentando o risco de problemas emocionais e cognitivos já na adolescência.


Quem diz isso são pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia (USC), de Los Angeles, uma das cidades mais poluídas dos Estados Unidos.


Eles examinaram ressonâncias magnéticas de cerca de 10.343 crianças entre 9 e 10 anos em 21 cidades americanas e compararam cada imagem com os dados de poluição anuais das cidades onde as crianças moravam.


No caso de crianças altamente expostas a PM2.5 - partículas com menos de 2,5 micrômetros, a milésima parte de um milímetro - eles constataram mudanças importantes no cérebro. Áreas associadas a emoção se tornavam maiores e as associadas a funções cognitivas se tornaram menores.


O estudo foi publicado no jornal Environmental Internacional. As alterações no cérebro foram similares para meninos e meninas.


Veja mais: As pessoas conseguem ouvir mesmo à beira da morte


#Cérebro #Crianças #DesempenhoCognitivo #EUA #ProblemasEmocionais #USC