• Sandra Carvalho

Dúvidas sobre sexo? Esqueça Siri e Google Assistant

Por enquanto, ninguém bate a busca do Google em conteúdo online sobre sexo e saúde.


Google Assistant no iPhone: ainda precisa evoluir | Foto : cc0 Kaufdex/Pixabay

A busca tradicional do Google no notebook ainda é a melhor maneira de chegar a um bom conteúdo online sobre sexo e saúde. Dá um banho nos assistentes digitais de celular da Apple e do próprio Google.

Quem diz isso é um time de médicos da Universidade de Otago, em Wellington, Nova Zelândia. Em assuntos de cama, eles garantem, "Hey, Siri" e "OK, Google" ainda levam a respostas muito fracas. Seu estudo foi publicado no British Medical Journal (BMJ) na quarta-feira.

Eles investigaram a qualidade das informações sobre sexo da Siri e do Google Assistant, fazendo 50 perguntas sobre aconselhamento sexual, e se decepcionaram com os dois serviços.

Nos testes, a busca do Google no notebook ofereceu as melhores respostas em 72% dos casos. Siri não passou de 32%. O Google Assistant foi um pouco melhor: 50%. Os percentuais incluem os melhores resultados e os empates.

Analisando resultados imprestáveis de buscas, de novo a busca tradicional no notebook se saiu melhor: apenas 8% dos seus resultados foram totalmente inúteis. No caso da Siri, o percentual disparou a 36%. De novo, o Google Assistant não foi tão mal: 12%

De acordo com a pesquisa, tanto a busca convencional do Google quanto o Google Assistant são melhores em encontrar imagens de como fazer sexo do que a Siri.

Uma surpresa da experiência foi a incapacidade da Siri encontrar qualquer vídeo de sexo na internet. O assistente digital da Apple também tropeçou no sotaque da Nova Zelândia, confundindo sexo com seis (sex e six).

Os dois assistentes digitais fizeram erros hilariantes. Siri confundiu doenças sexualmente transmissíveis (STI, na sigla em inglês), com um código de ação na bolsa. O Google Assistant, com um resort de praia em Cornwall, na Inglaterra.

#Apple #Google #IA #Sexo #PesquisasMédicas #UniversidadedeOtago