• Sandra Carvalho

Em proteção de floresta, o Brasil está pior que o Congo

Ninguém perdeu mais floresta tropical primária que nós em 2019, diz o Global Forest Watch.


Desmatamento da Amazônia flagrado no Mato Grosso em 2019 | Foto: cc Marcos Vergueiro- Secom do MT

A República Democrática do Congo (RDC) é um dos países mais miseráveis do mundo, com mais de 70% da população em extrema pobreza. Ainda assim, o país protege suas florestas melhor do que o Brasil.


Segundo o novo relatório do Global Forest Watch, o Brasil perdeu 1,36 milhão de hectares de floresta tropical primária em 2019, mais do que qualquer outro país do planeta. O Congo é o segundo colocado nesse ranking, mas com uma destruição 2,8 vezes menor: a perda de foi 475 mil hectares.


O desflorestamento no Brasil deu conta de mais de um terço da perda de florestas tropicais no mundo medida pelo Global Forest Watch, que chegou a 3,8 milhões de hectares. Confira nos gráficos.


A linha preta representa a média móvel simples de 3 anos | Gráfico: Global Forest Watch/World Resources Institute
A linha preta representa a média móvel simples de 3 anos | Gráfico: Global Forest Watch/World Resources Institute

Por que a perda persistente de floresta tropical primária no Brasil? Segundo a Global Forest Watch, as causas vão do desmatamento para agricultura à exploração mais seletiva dos madeireiros.


Os incêndios não entraram entre as causas principais. Em agosto de 2019, houve uma disparada do fogo na Amazônia, mas os incêndios ocorreram mais em áreas já desmatadas anteriormente.


O relatório chama a atenção para a crescente perda de áreas de florestas primárias nas terras indígenas, movida pela apropriação ilegal de terras e pela mineração. Veja o mapa:

Mapa: Global Forest Watch/World Resources Institute

As florestas primárias tropicais úmidas, como a Amazônia, são vitais para armazenar carbono, mitigando os efeitos da mudança de clima.


São essenciais também para garantir a sobrevivência de plantas e animais que não existem em outros lugares do globo. Se destruídas, podem demorar décadas ou séculos para se regenerar.


O relatório da Global Forest Watch é feito por cientistas da Universidade de Maryland (UMD). Segundo a pesquisa, o que se derrubou de florestas tropicais no mundo em 2019 é equivalente a um campo de futebol a cada seis segundos durante o ano inteiro.


Veja mais: Desmatamento no Mato Grosso, descarado e persistente


#Amazônia #Desmatamento #Florestas #FlorestasTropicais #TerrasIndígenas #UMD