• Sandra Carvalho

Escavações descobrem vinho mais velho da Itália, da idade do cobre

As jarras de vinho estavam em Agrigento, na Sicília.


Os italianos já bebiam vinho quatro mil anos antes de Cristo, na idade do cobre. É o que revelam análises químicas de jarras encontradas no Monte Kronio, em Agrigento, na Sicília.


Já se sabia que os italianos bebiam vinho desde a pré-história. Mas, até essa descoberta, pensava-se que eles tinham começado a plantar uvas e fazer vinho apenas na idade do bronze média, em torno de 1300-1200 a.C.


As jarras encontradas foram examinadas na Universidade do Sul da Flórida (USF) , e o estudo foi publicado no Microchemical Journal.


A análise química indica que essa é a descoberta de vinho mais antiga da pré-história da península italiana.


No laboratório da universidade, foram encontrados ácido tartárico e sódio, que ocorrem naturalmente em uvas e no processo de produção do vinho, nos resíduos das jarras do Monte Kromio.


Agora os autores do estudo vão tentar descobrir se o vinho era branco ou tinto, segundo comunicado da Universidade do Sul da Flórida.


#Itália #PréHistória #Sicília #USF #Vinho