• Sandra Carvalho

Essas onças-pintadas dispensam carne vermelha

Elas vivem no Pantanal, e preferem comer répteis e peixes.



A onça-pintada, o maior felino brasileiro, tem a fama de traçar capivaras, catetos, tatus, veados e queixadas com prazer. Mas no norte do Pantanal a onça-pintada (Panthera onca) prefere se deliciar com outros tipos de presas: répteis e peixes.


Uma equipe internacional de cientistas estudou a dieta das onças-pintadas da região e seus hábitos sociais e descobriu coisas inesperadas.


Examinando o cocô das onças, para descobrir o que elas comiam, os pesquisadores viram que os répteis estavam presentes em 55% das fezes, e os peixes, em 46%. Os mamíferos, apenas em 11%.


Segundo o estudo, as onças-pintadas do norte do Pantanal têm o maior consumo de animais aquáticos já visto entre onças, e o menor de mamíferos já registrado.


Na pesquisa, foram colocados dispositivos de GPS em 13 onças-pintadas, o que permitiu estimar com maior precisão a densidade do animal na região. Resultado: 12,4 por 100 km2, duas ou três vezes mais que em outros locais da América do Sul.


Os cientistas flagraram muitas interações sociais entre as onças, o que também não é comum entre onças-pintadas. Atribuíram esse relaxamento à abundância das presas aquáticas.


"Se há muita comida por perto, há menos necessidade de lutar por isso", observou Charlotte Eriksson, da Universidade Estadual do Oregon, a #OSU, principal autora do artigo. Profissionais do #ICMBio e da Universidade do Estado de Mato Grosso (#Unemat) também participaram da pesquisa.


As onças-pintadas foram observadas por 59 estações câmeras por 8.065 dias, de 2014 a 2018. Ela apareceram em 95% das câmeras, e exibiram 80 interações entre elas, algumas bem brincalhonas, incomuns entre animais que tendem a ser solitários. Confira no vídeo:



O estudo foi publicado no periódico Ecology.


Veja mais: Amazônia: refúgio das onças-pintadas ameaçado