• Sandra Carvalho

Esses 13 países barbarizam com combustível fóssil

Carvão, petróleo e gás ainda garantem quase toda eletricidade em vários pontos do globo.


Mapa dos combustíveis fósseis
Mapa do mundo do ponto de vista do uso de combustíveis fósseis em 2020 | Mapa: Our World in Data

Carvão, petróleo e gás fazem muito mal ao planeta: combinados, são a principal fonte das emissões de dióxido de carbono, o terrível CO2, que tanto polui a atmosfera.


Ainda assim, esses combustíveis fósseis garantem quase toda a eletricidade consumida em muitos países do mundo.


É o caso da Arábia Saudita, por exemplo, onde os combustíveis fósseis asseguram praticamente 100% da eletricidade (era 100% em 1985 e hoje são 99,96%).


Muitos países ricos dependem demais dos combustíveis fósseis - como Cingapura, onde eles respondem por quase 97% da eletricidade hoje (em 1985 o percentual passava de 98%).


Os números são do site de dados inglês Our World in Data, da Universidade de Oxford.


Alguns países têm feito um progresso modesto no sentido de se livrar do CO2. A China é um exemplo. Sua dependência dos combustíveis fósseis para eletricidade caiu de 77% em 1985 para 66% hoje em dia.


Outros países, raros, deram saltos extraordinários. Na Dinamarca, os combustíveis fósseis eram fonte de 84,5% da eletricidade em 2000. Hoje, não passam de 21,7%.


O Brasil, com 13,6% de participação desses combustíveis em sua eletricidade, está longe de ser um dos piores casos do mundo.


Mas também não é dos melhores, porque aqui essa dependência dos combustíveis fósseis aumentou nas últimas décadas, em vez de diminuir. Em 1985, essa fatia era de meros 4,5%.


Confira o gráfico dos países altamente dependentes da energia mais poluidora. O Brasil, que não faz parte desse grupo, está incluído apenas para efeito de comparação.


Gráfico de combustíveis fósseis.

Veja mais: Usina de Belo Monte triplica gases de efeito estufa