• Sandra Carvalho

Esses animais podem desaparecer, junto com sua história

Corremos o risco de perder 50 bilhões de anos de evolução com animais ameaçados.


Animais ameaçados com uma longa história única de evolução | Fotos: ZSL

Os humanos estão deixando suas pegadas por toda parte na Terra - invadindo mais e mais os habitats naturais dos animais. O resultado pode ser a extinção de animais que levarão com eles a história de pelo menos 50 bilhões de anos de evolução.


A estimativa foi feita por cientistas da Sociedade Zoológica de Londres (ZSL) e do Imperial College London, que mapearam a história da evolução dos animais vertebrados terrestres - anfíbios, pássaros, mamíferos e répteis.


Como muitas espécies evoluíram em galhos separados da árvore da vida, a história que cada grupo representa é bem longa. Só os répteis, por exemplo, representam 13 bilhões de anos de evolução (aproximadamente a idade do universo).


Somadas as perdas de cada grupo, se chega ao desaparecimento de 50 bilhões de anos de evolução. O estudo foi publicado no jornal Nature Communications.


Entre os animais com uma história de evolução única ameaçados pela invasão humana estão a tartaruga cabeluda Mary River (Elusor macrurus), o sapo-roxo ( Nasikabatrachus sahyadrensis), o numbat (Myrmecobius fasciatus), o lagarto-crocodilo-chinês (Shinisaurus crocodilurus), o pássaro bico-de-sapato (Balaeniceps rex) e o lêmure aie-aie (Daubentonia madagascariensis).


Fotos: Tartaruga Mary River: Chris van Wyk/ZSL; sapo-roxo: Sandeep Das/ZSL; numbat: cc Martin Pot/Wikimedia Commons; lagarto-crocodilo-chinês: B. Tapley/ZSL; pássaro bico-de-sapato: Claudia Gray/ZSL; lêmure aie aie: ZSL


"Nossas análises revelam a escala incompreensível das perdas que enfrentaremos se não fizermos mais para salvar a biodiversidade global", notou Rikki Gumbs, da ZSL, o principal autor do estudo.


Na árvore da vida, cada galho tem um comprimento medido em milhões de anos, e o comprimento é usado para avaliar o que é singular e o que são as variações de uma espécie. É uma medida conhecida como diversidade filogenética.


Os cientistas verificaram quais regiões com história evolucionária única estão sob grande pressão humana - elas vão do Caribe aos Gates Ocidentais na Índia, passando por Sri Lanka e grande parte do Sudeste da Ásia.


Hoje mais de 40% do solo está ocupado por agricultura e pelo menos 75% já foi afetado de alguma forma pela atividade humana, aponta o estudo.


Segundo os pesquisadores, apenas 5% da superfície terrestre está livre ou muito pouco afetada pela ação humana. Esses 5% se concentram especialmente na Floresta Amazônica, nas terras altas de Bornéu e partes do sul da África.


Veja mais: Nove dicas para evitar a extinção de insetos


#AnimaisAmeaçados #AnimaisemExtinção #Biodiversidade #Filogenética #ImperialCollege #Lêmures #Répteis #Sapos #Tartarugas #TeoriadaEvolução #Zoologia #ZSL